segunda-feira, fevereiro 06, 2012

BRASIL, BAHIA, ONDE TUDO É A DOER

Salvador é uma belíssima cidade, repleta de memória colonial, Igrejas, ruas e casas que ainda falam. Provavelmente, dentro de dias, o célebre Carnaval fará esquecer o sangue que tem manado. Demasiado sangue. Há ali um Povo que não amoucha, como o nosso, mas que se dói e se rasga. Nunca a vida económica foi tão pujante no Brasil como agora, no entanto, e porque tudo tem a ver com tudo, com esta Europa Inefável, Hesitante e Asna, o equilíbrio mundial é precário e a incerteza do futuro uma coisa mortífera. O dinheiro e o bem-estar, quando são de menos, conduzem ao desespero e ao estribar de todos os limites, como o que decorre de se não mexer um dedo perante a criminalidade endémica deixada em roda livre: «O caos instalou-se na cidade no dia 31 de Janeiro, quando pelo menos dois terços dos polícias iniciaram uma greve exigindo a melhoria das condições de trabalho e um aumento de 50%.»

Sem comentários: