quinta-feira, março 15, 2012

38 ANOS A CORRER POR GOSTO

Não. Não digam os meus adversários socialistas que eu instigo ao ódio, ao ódio pelo Partido Socialista, ao ódio pelo seu ex-líder, o Nefando Primadonna. Não instigo a coisa nenhuma desse teor. Tenho instigado, sim, à indignação com ambos, que é coisa bem diversa e tem como escopo isto: Justiça! Fim da impunidade! Clareza e clarificação totais e absoluto escrutínio ao cêntimo. Se olharmos placidamente para o que têm sido estes trinta e oito anos de 'democracia' partidocrata e impunitária, verificamos ter havido uma corrida entre o PS e o PSD, cuja meta vitoriosa foi a disputa pelo título de partido mais daninho aos interesses gerais, o mais ávido com dinheiros públicos, o mais hibridado Partido-Estado nesse oportunismo glutão sobre o Erário. Quem supera a meta em primeiro lugar? Qual deles chega ao Juízo da História como, simultaneamente, o detentor do ónus da devastação do nosso Presente e do nosso Futuro e o 'prémio' do mais corrupto porque num círculo estéril autotélico? O PS. O PS tem-se revelado muito melhor atleta de fundo e de velocidade. Vence essa corrida com largo avanço porque, dir-se-á, corre por gosto, para nosso desgosto. A questão é colocar os tribunais a limpar, desde logo, o PS, mas também o PSD. Nesse dia, seremos mais felizes e dormiremos melhor. Declaração de interesses: sou católico, democrata e monárquico. República ou Monarquia, os Regimes falham quando os respectivos povos, sem qualquer necessidade e sem qualquer explicação, permanecem pobres. A República Homicida de 1910 falhou. Já só nos falta a indignação pacífica que gere uma mudança.

1 comentário:

Luis Bento disse...

Outra análise lúcida ... Conforme diria um ilustre português: "Obviamente... sigo-o!"