sábado, abril 07, 2012

SONSA ISABEL. SÃO JOSÉ SONSA

Gasta São José Almeida muito verbo para atacar a decisão acertada da direcção do PS em admoestar a deputada Isabel Moreira por ter votado contra a proposta de lei laboral, pretexto para admoestá-la por minar a actual liderança. Quando se escreve que Isabel Moreira foi eleita como independente nas listas do PS e que não é militante do PS terá de dizer-se logo a seguir que a sua independência termina, mal começa a derreada lealdade ao escarninho parisiense. Portanto, não estão somente em causa as regras parlamentares e o que é o funcionamento da Assembleia da República com a grande e comprovada treta de que o deputado é livre e soberano no exercício do seu mandato de deputado. Há mais. São José invoca para as distinguir as regras que regulam os grupos parlamentares como regras que existem nos estatutos e nos regulamentos internos dos partidos, não no Estatuto dos Deputados nem no Regimento da Assembleia nem na Constituição, mas esse argumentário conveniente cai por terra diante da evidente deslealdade e conspiração anti-Seguro que Isabel e outros vinham fazendo. Não se pode ser independente, ser eleita, estar num grupo parlamentar e depois articular-se largamente no menoscabo, no ataque sistemático e impiedoso ao líder António José Seguro, quer na pequena conspiração murmurante, quer desde logo pela pertença a um blogue que é mais íntimo de Sócrates que a lingerie do parisiense. São José sabe muito e muito mais sabe a Isabel serigaita Moreira. 

Sem comentários: