sábado, agosto 04, 2012

VOU SER REDUZIDO

E é isto. O emagrecimento laboral do Ensino Público, com o despedimento massivo prometido para o ano lectivo 2012-2013, está no terreno e parece inexorável. Uma limpeza. Eu, que combati as perversidades de Maria de Lurdes Rodrigues, desbocada provocadora, percebo bem que tal figura inenarrável funcionasse como precursora disto, a concretização talvez do mais secreto desejo dos últimos Governos: uma machadada fatal na massa salarial da Educação. Era, afinal, uma guerra. É uma guerra. Aquela que opõe a corporação políticos do arco governativo a quase todos os outros grupos profissionais sob a manápula dos Governos. Os políticos fazem tudo pela Banca. Compreende-se. Legislam para trás e para diante ao sabor dos ciclos eleitorais e da sua agenda de interesses. Eventualmente conduzem o País à ruína. E depois nós pagamos. Com o corpo. Com o emprego perdido. Com impostos insuportáveis. Bravo!

2 comentários:

Anónimo disse...

Medidas (ainda) decididas pelo Sócrates.

Anónimo disse...

Bom não esquecer!