quinta-feira, setembro 13, 2012

COISAS QUE SEGURO VAI DIZER

A posição de Seguro é extremamente delicada tal como a de um caracol em movimento a extrema velocidade indignada e violenta. Certo é que a oposição interna ao Tó Zé, basicamente composta por camelos raivosos socratistas associados ao desastre de dívida e mais dívida do Estado em troca de controlo mediático e de eleitoralismo criminoso, em troca de enriquecimento ilícito e vida airada em Paris, essa oposição quer sangue: quanto mais fundo for o nosso poço, mais ilibado se sentirá o Filho da Puta. A esses galambas, isabel moreiras e outros anónimos assessores gordos como chinos, tanto se lhes faz que o País resvale para mais impasses e abismo. Interessa  é que a cabeça de Seguro role por inépcia, por falta de rasgo político, défice de loucura ambiciosa e sacana. O que pode Seguro dizer de novo, fora o que todos dizemos sobre esta TSU, solução final? Socialismo, basta ouvir Soares e as suas queixas muito pessoais contra este Governo, socialismo é exigir ainda mais subsídios e benesses, é pedir mais gastos do Estado, é o regresso ao modelo da catástrofe portuguesa. Quero ver se há em Seguro alguém que anunciaria fazer ou propor o que Hollande está a fazer em França: a castigar de fiscalidade os fortes, os ricos, especialmente estes. Era de homem.

1 comentário:

Vasco disse...

A posição do Seguro (Seguro: que ironia!) é do tipo que está no duche e se dobra para apanhar o sabonete. Os Socratinos não perdoam.