sexta-feira, setembro 07, 2012

DE FACADA EM FACADA

Não se deve esperar nada de bom, este fim de tarde, pelas 19:15h, da comunicação prevista por Passos Coelho. Mais facadas à grega em perspectiva, porventura. Passos diz a verdade. Isso é bom. A verdade é dura e exigente. Não há dinheiro e não é possível seguir o caminho ilusório e retórico dos devoristas socialistas. Mas também não há muito respeito pelas pessoas, a sua vida e a sua inteligência. Aquilo que há é extrema subserviência aos donos da economia e por isso mesmo um desnivelamento grotesco entre quem sofre as consequências dos cortes, das políticas, da austeridade, e quem passa muito bem, obrigado, pela crise. De que é que se tem medo? Que as mais sólidas empresas nacionais e internacionais, cercadas de fiscalidade, debandem o País?! O mais certo é que abandonem este ermo em qualquer caso apenas porque a fiscalidade estrangulou os consumidores. Boa sorte ao cair, Portugal.

3 comentários:

Anónimo disse...

Pois, 'sem comentários'. Agora com 1 comentário quando este for aprovado. O que me preocupa é que com a onda invasiva das multinacionais que andam a patentar sementes à bruta com as suas garras prepotentes, qualquer dia nem da ortazinha no quintal conseguimos viver.
E então vai ser mesmo a fome (negra).

Virginia

Vítor Badalinho disse...

"Não há dinheiro"? Curioso é que o dinheiro que não há serve para recapitalizar a banca privada e encher os cofres das parcerias público-privadas. "Não há dinheiro" mas sempre que é preciso injectar fundos no BPN, financiar o ensino e a saúde privada, ele aparece do nada.

Anónimo disse...

Pois claro, os socialistas é que são assim e assado...ao menos, todos conseguiamos viver, não era só meia duzia como agora