segunda-feira, setembro 10, 2012

TUBO DE ENSAIO PORTUGAL

Nunca, no passado, se viu Governo completamente determinado a ser impopular, noventa por cento, noventa e cinco por cento impopular: não é o Povo eleitor que sustenta ou admite este Governo Externo, mas outros poderes apostados em amparar e ter sucesso numérico com o  Tubo de Ensaio Portugal, se for caso disso. Mesmo perante a promessa do BCE, sob as mesmíssimas condições do ajustamento, não se ouviu palavra de Passos sobre a promessa de Draghi para a compra de dívida soberana. É certo que não é regressando ao doce delírio que nos colocou ao colo dos experimentalismos da Troyka que o País terá a salvação por que se suspira, mas a frieza, meu Deus, a frieza choca por demais. O sofrimento das populações ainda não existe, ainda não se materializou, e já se avoluma nos danos e dores que se antecipam. Provavelmente, Passos acabará por brilhar com o nosso sangue. Tal como Merkel. Tal como todos os que esfregam as mãos perante o dinheiro que lhes vai sobrar.

Sem comentários: