domingo, outubro 14, 2012

O CARDEAL-DIABO SAMPAIO E OS OUTOS

Sampaio é mais um, no seu registo discursivo trapalhão, gesticulante e cheio de cuspo sôfrego, a juntar-se aos demais coveiros do Governo, menos D. Policarpo, tampão da rua e institucionaleiro. Dar voz a Sampaio é dar voz ao Regime, às dores de corno do Regime, para se somar ao Januário, zarolho incendiário, a Mário Soares, rancoroso e tribal, e a todo o friso de instalados e devedores do que são, e sobretudo do que têm e acumularam, ao Regime, ao seu Sistema Fechado de Conluio e Saque. Um a um, vão colocando o dedo na grande ferida nacional, posicionando-se ao lado da capitulação-renegociação a todo o custo, outra forma de considerar removível este curto ensaio compromissivo e estritamente obediencial passista. Tragado pelas vozes instaladas e pela exaustão das multidões, o Governo está por um fio. Os interesses estabelecidos reagem, insidiosos, contra quem lhes ouse pôr a manápula reformista ou confiscatória. Portugueses, agarrem-se aos vossos trocos que o pior está quase aí.

1 comentário:

Floribundus disse...

chora.
debita palavras tipo relógio de cuco.
já não 15 mil mês em guimarães.
já nã distribui caricas