quarta-feira, fevereiro 29, 2012

GRANDE MÁRTIR DOS TRIBUNAIS VIRTUAIS

Desde que o burlão exemplar Vale e Azevedo se entalou, entalando o Benfica, nunca mais teve descanso extra-Benfica ou para além-Benfica. Se há um mártir, um cromo repetido, um fantasma solitário a arrastar os grilhões do estigma e o esqueleto obeso, ao longo das décadas, pela Justiça virtual e pela virtualidade dos tribunais da letra nacionais, é ele. Mas é como se este axioma  «Lixaste o Benfica, serás lixado para sempre!» - não se pudesse transpor, conforme seria devido e com infinita mais razão, a quem lixou Portugal. E deve ser por isso que por enquanto para o exemplaríssimo charlatão Primadonna só há absolvição e delícias: «Lixaste Portugal, mas, pronto, descansa, relaxa e refastela-te por Paris e o Mundo.» E está mal. Muito mal.

COISAS BEM PARIDAS PELA ESQUERDA

Tirando a auto-exclusão do Poder e tirando o comportamento abutrino quanto mais caos melhor, há coisas que a Esquerda faz bem, e faz patrioticamente bem: não dar sossego à questão do BPN, por exemplo. A impunidade sorna que alguns ávidos criminosos abomináveis do Bloco Central de Interesses fabricou para si, meticulosamente, ao longo de anos, tem de ser armadilhada, perseguida e esmagada. Desde que depois tudo vá para lá do grande engonhar arranstando o ventre pelas comissões castratas de inquérito, será bom.

terça-feira, fevereiro 28, 2012

UM BOM FILME PARA A NOSSA MAGNA DEPRESSÃO

Os propalados bons filmes só nos dizem alguma coisa quando os podemos ver. Tudo está caro a um nível absolutamente proibitivo, criminoso: a gasolina está criminosamente cara, os transportes estão caros ao ponto do homicídio do utente, o infantário assassina-me de tão caro e por isso chego já teso e morto ao dia oito de cada mês, apesar de comer mal e andar a pé. Ir ao cinema está fora de questão. E digo-o com pena, seduzido pela película O Artista, e contrastando-me com tanto bem-estar inexplicável: depois de ter visto pelas ruas de Gaia e de Gondomar, em menos de oito horas, pelo menos uns vinte excelentes Mercedes e outros tantos BMW, concluo que como há tão pouca indústria, agricultura e pescas para tantas rodas exorbitantes, só podem ser dirigentes partidários ou rapaces beneficiários com décadas a rapar fundos comunitários. Não tenho alternativa senão remediar-me com a lata de conservas de cada dia e esperar pelo momento em que, por arte da minha própria sobrevivência feroz e resiliente, finalmente poderei ver O Artista.

A ADRENALINA DA GREVE PARA PATOS APÁTICOS

Daniel Oliveira entrou em taquicardia com a entrevista de Diogo Feyo, eurodeputado do CDS, ao "Público". A verdade é que o Governo não tem alternativa ao acatamento da austeridade ditada externamente. Os políticos que nos deram o optimismo assassino e vácuo não nos deixaram outra saída. Desobedecer à austeridade é descarrilar antes da luz ao fundo do túnel. Mesmo de sindicatos com décadas de defesa, antes de tudo o mais, dos privilégios da elite dirigente sindical e só muito depois dos direitos fossilizados dos trabalhadores ou da criação de riqueza e produtividade nas empresas, não se pode esperar absolutamente nada senão o que o Fóssil Arménio espingarda sob a espora de um ou dois cafés loquazes. O Daniel quer o laxante do conflito, do contraste e do dinamismo social e intelectual, paralisando o País como combate ao laxismo?! O mais certo é que, no mínimo, passemos fome alegremente durante o processo e, no máximo, sejamos despejados por falta de pagamento do aluguer da casa. A luta está boa para quem tem dinheiro, para quem não tem filhos a cargo e ganha a vida sentado a garatujar artigos libertários, moções anacrónicas e paralíticas para o Espesso. O contraditório, o conflito e o pluralismo são coisas liriquistas quando o básico ameaça colapsar, quer corramos quer fiquemos quietos. O problema não é a putativa promoção que o Diogo Feyo parece fazer à apatia e crédula submissão geral ao Governo. O único problema é trocar cidadãos apáticos com pão na mesa por cidadãos frenéticos, mas esfomeados nas praças; trocar trabalhadores apáticos com trabalho por trabalhadores frenéticos nas ruas mas sem trabalho; trocar estudantes apáticos com esperança por estudantes frenéticos sem futuro. O mesmo com intelectuais, cientistas e empresários. Entre o pântano sem fome e o pântano da mediocridade activista e cívica que nos atrasou durante décadas, escolho ter o que comer e ter o que dar de comer às minhas filhas. A única luta é trabalhar mais, é inventar trabalho para todos e criar riqueza antes de vociferar contra a lei da gravidade com petardos, cocktail molotov e a tirania dos piquetes sornas.

A GRANDE SINÉDOQUE DA BOLA

Tenho de concordar com o que aventa este lagarto anónimo, biopsia em pessoa, seja ela qual for, do primadonnismo: «Se o Domingos quisesse ficar no Sporting nunca teria insultado o clube como o fez ao reagir às críticas do João Braga. Acresce que a sua presença no banco irradiava insegurança e cerebralismo. Ele não se sentia parte da equipa, era o seu capataz preocupado com a imagem que tinha ou deixaria de ter. Por isso começou a despejar a sua frustração para cima dos jogadores nas entrevistas, explicando os maus resultados por falta de empenho de alguém nunca nomeado, logo de todos.»

DELÍQUIOS DE UMA CONA INTELECTUAL

A Greve é um direito consagrado institucionalmente. Ponto. Mas um País em risco de paragem cárdiofinanceira, perdido na voragem de erros seus, má fortuna, cegueira ardente, e do contexto volátil internacional, simplesmente não as pode nem deve fazer, se é que ama os seus velhos, as suas crianças, os seus filhos, os pais de família, cujo suor e mil andanças quotidianas garantem  estamos em Portugal!  menos que o mínimo. Logo, Shyznogud, por que não deixas de comer, de beber, de nos lixar com frases demagogas, e fazes aquele tipo de greve geral que só te afecte e ti?!

TREINADORES EM FILA INDIANA PARA O FC PORTO

Foi alguém ou alguma alma penada do Sporting que, sob anonimato, mandou a Lusa dizer que o Domingos havia encetado contactos preliminares com o FC Porto e a relação estaria próxima do orgasmo. Domingos e FC Porto representam casamento quase certo. Dado o frágil curriculum de Vítor Pereira, o lugar de mister está por assim dizer potencialmente vago. Ora, se há alguns que esperam e confiam que seja Domingos o próximo a ocupá-lo, inclino-me a achar que Leonardo Jardim leva vantagem. O tempo conjugado com o fenómeno de ascensão deste prodigioso Sporting de Braga confirmará se estou certo ou errado. Posso errar no "quando", mas que estes dois técnicos estão na rota do meu FC Porto, isso estão. Tem de haver muito e bom trabalho, muito carisma e muito mérito, por detrás de tão extrema eficácia no low profile de Jardim. 

segunda-feira, fevereiro 27, 2012

O PODER DA AUSTERIDADE IMBECIL

Passos até pode comportar-se como mero cachorrinho de Angela Merkel [para retomar uma das expressões despersonalizantes dos socialistas], mas também nunca se deve subestimar o poder do cão sobre o seu dono. Não me sinto entusiasmado com o banho de retórica inglês com que muitos se mostram entusiásticos: os manifestos do século XXI, a começar pelos manifestos portugueses repletos de alarves cavagalduras-Soares e cromos repetidos-Soares, são derrotistas e capitulacionistas, vácuos como uma bexiga de porco. E nós só temos de ter tesão de sair disto airosa e firmemente, à bruta, se for caso disso em vez de armar ao arruaceiro grego. Membros de Governos e de Partidos-Governo que endividaram imbecilmente os seus Estados, como o PS, não podem vir agora mostrar-se pró-crescimento económico, passe de retórica, querendo enfileirar no isolacionismo david-cameroniano: na Europa não há amigos e séculos de proteccionismo inglês e instinto eurocolonialista, pela hegemonia económica, não se transformarão de repente em permeabilidade aos bens transacionáveis dos países periféricos e intervencionados. Isto só lá vai com Seguro num colete-de-forças ou com uma mordaça tipo Hannibal Lecter. Pode o líder do PS andar a lamber sapos para alucinogerar novas realidades virtuais e esforços diplomáticos sem futuro com novos soundbytes, como “austeridade inteligente”. Inútil. Aos donos franco-alemães de cachorros como Passos cabe levá-los a passear, soltá-los no parque, recolher-lhes o cocó. E, neste momento, o melhor mesmo é que o cachorro Passos finja de morto, dê a patinha, role para a esquerda e role para a direita, obediente e prontamente. É pela a austeridade imbecil que vamos, como outrora pelo sonho. Com sorte, virá a ração, o enternecimento dos donos e, quem sabe?, o regresso à liberdade e autodeterminação sem Troykas. 

TAAG — WE HAVE A PROBLEM OU ISSO É IMPULSE

Sempre que um avião comercial da TAAG larga peças sobre carros pelos arredores de Lisboa ou regressa à Portela, imediatamente após ter descolado, por problemas técnicos, isso é impulse. Somos nós que andamos de mão estendida num regresso a Angola [para alemães, franceses e ingleses esse regresso simboliza a nossa decadência, mas se os envolve, não passa de business as usual]. São eles, angolanos, que vão comprando quase tudo o que interessa por cá, quintas, vinhas, Banca. Somos nós os necessitados da mediação económico-diplomática do super-ministro Relvas, cujos esforços africanos nada nem ninguém compreensivelmente podem ousar melindrar. Mas são eles, angolanos, que do ponto de vista da aviação comercial se estendem sucessivamente ao comprido no nosso espaço aéreo, numa espécie de atracção impulsiva pela nossa assistência técnica a baixo preço. Tudo isto é impulse.

MAIS UM EVENTO ABSOLUTAMENTE HABITUAL

Que seria do nosso dia-a-dia pachorrento se não fossem aqueles eventos sangrentos em Escolas perpetrados ou por imberbes norte-americanos ou por imberbes norte-europeus?! Não sabemos. Mas não seria a mesma coisa. Ei-la-ô, a esses deuses do gatilho que acedem a armas e munições com a mesma facilidade com que se munem de hamburgeres, hot-dogs e litradas de Coca-Cola!

AS CINZAS DO "QUERIDO LÍDER"

AMADO ALADO E BANIFICADO

«Politicamente, Amado conhece por dentro o regime de bancarrotocracia com escala europeia. Isto para não falar na utilidade do seu alinhamento com todos os imperialismos, com todas as invasões, com todos os voos.»  João Rodrigues

A PROSA FULVA DA IDIOTIA

O que chamar a esta prosa confusa que hesita entre rebaixar o Álvaro para lisonjear o Gaspar ou rebaixar o Gaspar para elevar o Álvaro? Tendo em conta que por ali, n'O Asno, igualmente se suspira, conspira e transpira em defesa do raivoso Sith Sócrates, a coisa sai manifestamente frankensteiniana e fulva. Fulva porque, de repente, é como se O Burro se fizesse passar por um blogue Laranja, só para poder desopilar.

O PERFIL

Este post de Estrela Serrano emula uma perseguição canina da própria cauda, com um argumentário rotundo que regressa ao ponto de partida sem acabar por mordê-la e dar-se um pouco de paz. Não há perfil ideal para o substituto de Júlio Magalhães pela simples razão de que qualquer substituto desvirtuará a rotina e comprometerá o sucesso do pendular programa. Mexer nele e na dupla que o sustenta é abdicar do share, é escolher o colapso do sucesso e aceitar a ruptura com o que em suma nos prende ao ecrã. Não há perfil que valha nem que vingue. Quaisquer dúvidas acerca disto é continuar a engonhar.

PREFERÊNCIAS

Prefiro os títeres deste Ministério da Justiça, meu amor, ao que tresandava, no anterior, a Estados Gerais do Peculato. Bom, no meio disto tudo, é que as nossas expectativas estejam bem altas quanto à pasta de Paula Teixeira da Cruz.

A FAVOR DOS IDIOTAS

Tu, Filipe, não sei se és, se foste, se parecias, socratesiano, socratino ou socratesco [nem sei se o parecias antes, durante ou no final de essa espécie de totalitarismo da Imagem pela Imagem, da Grande Charla e Hipnose Colectiva para coisa nenhuma]. Qualquer grão de pacto com esse tipo de manufactura e manutenção meticulosas do Poder pelo Poder era o suficiente para laborar em erro. Mas, pronto, não me interessa até que ponto te implicaste. Completo Idiota sou eu, basta que venhas com o caso Rosa Mendes para revirginar o socratismo e absolvê-lo. O que é o Caso Rosa Mendes senão uma situação artificial, paradigmática e óbvia de hostilização gratuita da mão angolana que nos afaga e nutre?! Idiota completo sou eu também, basta que venhas qualificar Santos Silva como «bem preparado, implacável, sereno». Quer dizer, ASS, o magno apostrofador da Direita, é sereno?! E é «sereno» relativamente si e ao seu cartão "complemento remuneratório" ou pode incluir na 'serenidade' os cartões "complemento remuneratório" dos dois ajudantes de campo do ministro, o Secretário de Estado da Defesa, Marcos Perestrello, o Chefe de gabinete do Secretário de Estado da Defesa e do ajudante de campo do Secretário de Estado da Defesa?! Meu Deus, Filipe, o sapiente, até tu! Mais um sob erros de paralaxe, como o Vítor Pereira.

domingo, fevereiro 26, 2012

UMA LIDERANÇA FORTUITA

Tenho a certeza de que Vítor Pereira e quase toda a gente que dirige e organiza o meu FC Porto não compreenderá como foi possível a liderança da Liga vir pousar-lhes hoje [vir pousar-nos!] no colo, quase sem mérito. Bom, a cavalo dado não se olha o dente. Se formos campeões, será com o travo amargo do malogro europeu, da palidez exibicional e da caótica concepção e gestão do plantel. Não há motivos para acreditar na solidez disto. Infelizmente. Basta meditar na primeira parte pastosa e ineficaz contra este Feirense para sentir o chão tremer.

FARC A CAMINHO DA VIRGINDADE

Passo a passo, pé ante pé, pode ser que as FARC, Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, longe de não passarem de uma agremiação criminosa à pala do esquerdismo justificativo de qualquer crime, se transformem numa ONG ou se transformem numa instituição de benemerência católica. Agora que anunciam a renúncia definitiva ao rapto de civis, terão recursos para compensar aqueles que destruíram? E o PCP apoiará este avanço progressista ou deplorá-lo-á?!

DO SATÂNICO

Imagem replicada daqui.
O traste anónimo amante do tratante Sócrates, Val-de-Merda, prossegue a sua peregrina defesa da figura, como se o endividamento dos Governos Sócrates não tivesse constituído por si só um estranho fenómeno de crescimento exponencial em escassos anos e isso não redundasse na total descredibilização fosse de que medida fosse, na hora do aperto. A paixão nutrida pelo Val-de-Merda mostra-se doentia dado o permanente exercício asqueroso de argumentar possibilidades e putatividades segundo a dogmática sempre infalível socratista. Pobre traste! Quem é que lhe paga para bolçar "ses" e "caso isto e "caso aquilo", sendo os últimos dias do socratismo, os últimos dias de uma sanita onde a Imagem era um absoluto, não a Verdade?!: «Caso Sócrates dissesse que Portugal precisaria de um empréstimo de emergência antes de ter esgotado todas as alternativas, seria ele o único responsável por esse desfecho. Porém, toda a oposição declarava que essa postura era irrealista e que Sócrates não passava de um mentiroso. Um mentiroso irrealista, portanto, oxímoro para consumo dos broncos alimentados a palha e baldes de merda por uma comunicação social em campanha permanente pelo falhanço dos esforços do Governo socialista na tentativa de encontrar uma saída que evitasse a ruína presente. Era tudo mau. Era tudo culpa de um homem muito mau. Satânico.» Val-de-Merda

SIM, AS COSTAS DOS DESONESTOS FOLGAM

Acho absolutamente abominável que uma Mulher séria e proba, como a Ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz, tenha de arrostar com a cruz injusta de uma perseguição pífia com insinuações mais pífias ainda. Querem dar caça a monstros, a maus caracteres, a gente gananciosa e insaciável, a gente lesiva dos interesses gerais do País? Terão muito trabalhinho se pesquisarem os últimos seis anos. Por que deixam os monstros em plácida paz, a rir de nós?! Vá, vão atrás dos que enriqueceram ilicitamente nos últimos seis anos. Persigam os que engordaram alarvemente nos últimos seis anos de mil abusos e nulo escrutínio. Vejam como Marinho e Pinto se torce, retorce e contorce pelos julgamentos sumários promovidos pelos media, mas omite sonsamente o Primadonna, o qual nunca lhe é assunto por muito mal que feda. Há uma Mulher séria no Ministério da Justiça, finalmente. Alguém que cortará a direito, se a deixarem. Alguém que não olhará a cores nem a filiações políticas. Tremam vocês, ladrões engravatados e invulneráveis consumados. O muro dos vossos milhões poderá não ser suficiente se deixarem essa Mulher ser a Mulher e a Ministra que promete.

A BELEZA DA LIGA

Jesus continua a ser, quanto a mim, o melhor treinador a actuar em Portugal. É de génio manter as coisas ao rubro ao ponto de permitir a queda do SLB na tabela classificativa ou por gestão do plantel, na tentativa de sacar o máximo rendimento de alguns jogadores contra o FC Porto e o Zenite, ou por puro afrouxamento exibicional do ritmo habitualmente alucinante. Se acontecer que o meu FC Porto iguale hoje pontualmente o Benfica, nem isso poderá intranquilizar Jesus: com Vítor Pereira, os clássicos perdem-se ou empatam-se, depois de se ter estado a ganhar. Com Vítor Pereira, começa-se bem e acaba-se mal. Há inscrito no discurso errático do Vítor uma enorme palavra: Quase! Isto para já não falar nos já diagnosticados erros de paralaxe! Ponhamos a hipótese de o FC Porto ser campeão esta época: não terá merecido. Seria um completo milagre, não passaria de excepção que confirma a regra, este ano, de ineficácia total e motivação deficitária. Não tem havido liderança entre os dragões. Jesus, pelo contrário, forma jogadores, organiza equipas que enrolam as demais em compressas, o rolo compressor, galvaniza-se e começa a falar nas notas artísticas, quando deveria ser pragmático e falar somente dos pontos. Incha nas conferências de imprensa quando as coisas correm francamente bem e depois, por factos imponderáveis e traiçoeiros, transforma-se, humilda-se, por ter ficado à mercê e deixado o SLB à mercê. E eis-nos aqui. À beira de uma viragem na Liga, há quem diga que por culpa das opções de Jesus. Acho injusto. No FC Porto, Jesus teria imensos títulos e o de este ano jamais lhe escaparia.

sábado, fevereiro 25, 2012

CURSO RÁPIDO DE INVULNERABILIDADE

Olhar para Berlusconi é olhar para a face de um certo ou muito concreto Mal-de-Estado. Ter ou ter tido uma coisa assim no Poder só pode revoltar e escandalizar. Os seus efeitos são de tal modo devastadores, que o próprio nome carreia todos os sinais do estigma e de quanto instila peçonha na auto-estima de um Povo: invulnerabilidade, impunidade, imunidade, prescrição  eis o que o dinheiro compra para si e Berlusconi pagou com trocos: «... acusado de ter comprado, por 600 mil dólares, o falso testemunho do seu ex-advogado Stuart Mills». Da mesmíssima forma, Sócrates paga o seu exílio apesar do nojo, da malícia e do extremo abuso por que pautou o exercício reles de funções. É um escândalo redobrado que nada se passe contra indivíduos assim manchados por quanto lixo moral praticaram, precisamente no cerne mais nobre do que deveria ser serviço mais puro e nobre aos seus Povos. No caso de Berlusconi, torpedeando e chantageando tudo e todos, mormente a Justiça. No caso de Sócrates, falsificando quase tudo e exercendo múltiplas formas de pressão ilícita e chantagem difusa, para não falar na lógica comissionista de quantos negócios ruinosos o Estado-PS urdiu. Também por Paris segue a invulnerabilidade, a impunidade, a imunidade e, com alguma habilidade, a devida prescrição.

SÓCRATES E LUÍS AROUCA "ARTICULAM-SE"

Eu gostava de saber para que ex-assessores circenses se dão à ingente trabalheira de defender o seu Sócrates. As marcas indeléveis de incontáveis trafulhices e aldrabices encherão os anais com arquivos e mais arquivos de pura fajutice lesa-Pátria. persistir na pífia defesa do indefensável, só pode ser cegueira de amantes. Uma nova lixeira complementar socratista, que explicita uma articulação de versões entre o Primadonna e Luís Arouca no caso Independente, pode ser vasculhada e devidamente entendida aqui. Uma vergonha monumental!: «Não, não...não...não... não há nomes de professores, nem o professor se lembra...nem tem...enfim... »

O PROTESTO SABUJO E DELAMBIDO SOCRATISTA

As capas do Correio da Manhã desagradam sobremaneira aos socratistas mais delambidos, casta de rotos e de sabujos descomunal. É natural. Como é que eles fogem ao argumento de que o Visa Charge Card Cor-de-Rosa ou "suplemento remuneratório" estava fora da lei? Afirmando que gastavam pouco em média. A malta mais amante do socratismo estrebucha e queixa-se do puro sensacionalismo que norteia o CM. Mas não, o objectivo não é difamar políticos cuja má fama fala por si. O objectivo do CM não é visar por visar «personalidades ligadas a Sócrates e ao PS do ciclo Sócrates», mas demonstrar que o abuso e a desonestidade foram factuais. Ainda que ASS, scilicet Augusto Santos Silva, esclareça que os seus gastos com o cartão corresponderam a uma média de 147,72 euros por mês, para um total de 2.954,39 euros em 20 meses, ficámos sem a admissão cabal, que nos é devida, de que, mesmo no Ministério, ASS não era o único detentor de cartão, de que o artifício de esses cartões carecia de qualquer enquadramento legal, que a sua transparência era nula e que nem todos se comportaram frugalmente como ASS aparentemente se comportou, se é que assim se comportou porque a questão está longe de esclarecida: «1. O Prof. Santos Silva, diretamente ou por omissão, terá tido as mãos mais largas e sido o mais igualitário, mais socialista, ainda que tenha dito que nem sabia o seu plafond: na Defesa, todos tinham o mesmo montante, inclusivé os chefes de gabinete e os ajudantes de campo e logo de 10 mil euros. O Dr. Alberto Martins, burguês moderno mas ainda com os laivos socio-comunistas da sua juventude coimbrã, foi igualmente igualitário face ao seu secretário de Estado, José Magalhães, ainda que mais modesto, ficando pelos quatro mil euros, ou seja 40% do montante dos gabinetes da Defesa. Já a chique ministra da Cultura, Dra. Gabriela Canavilhas, não teve esse prurido em permitir a luta de classes no seu ministério: 5 mil euros para si e 3.700 euros para o seu secretário de Estado, Elísio Summavielle. Na listagem de cartões de crédito até agora divulgada, ainda não consta o gato e o cão, mas desconfio que, se o Governo colaborar teremos surpresas agradáveis.» ABC

ABEBE SELASSIÉ, O FMI E O REINO DO PRESTE JOÃO

Sempre tivemos uma relação algo mística com a Etiópia. A par da busca do caminho marítimo para a Índia, movia-nos a procura de um putativo reino cristão, enclave milagroso entre maometanos: o reino do Preste João. Agora que o FMI nomeou para Portugal como novo chefe de missão Abebe Aemro Selassié como novo chefe da delegação do FMI em Portugal, à frente da Troyka, completamos a nossa magna demanda: será um etíope, ao que parece bastante pessimista em matéria económica, a colocar-nos [ou não!] nos eixos. Enquanto a Troyka assegurar que estamos no bom caminho e atestar a credibilidade do Governo, estará tudo bem: «A 'troika' atesta, de novo, que Portugal está a cumprir. Um dia perceber-se-á o que este facto significa para a credibilidade do Estado português. Uma boa notícia, sem dúvida.»

A MALTA DO LEGIA VEIO PARA CONSPURCAR

Estes caramelos polacos, repletos de testosterona e estupidez, só fabricaram problemas e culminaram tudo numa morte muito pouco acidental, tendo em conta a quantidade de desacatos levados a cabo por aqueles. Se houver justiça, terá de ser pesada e exemplar. Não bastava a nossa própria escória andar por aí a assaltar velhos, a agredi-los, em campanhas violentas e roubos espectaculares, tínhamos de alombar com polacos por internar num hospício.

A HISTERIA ESTÉRIL DO PROTESTO

Houve um tempo, no tempo em que o socratismo seguia impante na grande fraude desgovernativa, em que eu esperava do PCP ambição de poder partilhado, capacidade de construção, sentido de alerta. O PC não quer partilhar coisa nenhuma. Só a histeria estéril do protesto. Hoje é preciso que se sublinhe isto: desde há pelo menos trinta anos que o PC está velho. Era preciso renovar todas as coisas, todas as estruturas, inovar o discurso, ter um papel claro a dinamizar a sociedade de um modo realista e actualizado. Nada. Temos um fóssil ao megafone chamado Arménio, a espingardar, metralhando chavões à velocidade da luz. Temos Jerónimo a dizer o mesmo variando somente os recursos de estilo, mas sempre com aquela ironia e sentido de humor que repassam comparações e metáforas. Temos greves gerais e tiros no pé. Demagogia e pobreza de espírito. O PS, no meio disto, é um farrapo refém dos seus vícios e da casta minorca de pigmeus que o socratismo deixou para trás.

sexta-feira, fevereiro 24, 2012

PUTIN NÃO É MELHOR QUE KADHAFI

Há uma personagem cada vez mais quixotesca chamada Putin. Os moinhos de vento têm sido difíceis de encontrar e combater, mas há sempre um que se inventa para a festa do inimigo externo e conspirativo. A revista «Time» serve perfeitamente. Uma coisa, porém, move este Quijote Negro como move, antes e para além de tudo, o Qujote original que está vivo no clássico cervantino: Dulcineia. Tudo o que as máfias abocanham e dominam em conluio com o poder residente é doce e deve continuar doce. Os proventos dos negócios das armas, do gás natural, do petróleo têm mãos certas: são a Dulcineia de quem chegou primeiro. Tudo continuará igual caso o Povo russo se deixe amordaçar pelo medo. Porque a ventosa do Poder está tal como Kadhafi a tinha: bem apertada.

DO ALFORGE SOCRATISTA SAIU UMA COELHA

Isabel Moreira, a mulher das Leis Libertárias Homossexualizantes que está no Parlamento, colocada lá como prémio e como relíquia socratista, deveria esforçar-se por ser menos engraçada: «Senhor presidente, desculpe, estou um bocado drogada. Drogas lícitas.» Esperemos que a deputada se encontre de boa saúde, mas há muito português permanentemente em sofrimento sob drogas lícitas que não achará a mínima piada ao trocadilho. O que prestigiaria esse Parlamento, cuja deputação ou não sabe encher garrafas de água ou recusa tratar de si mesma e da água que beba, é o contrário das piadas brutas que a Isabel confecciona no sossego da bancada. Para piadas e saídas infelizes já nos basta Passos Coelho algumas vezes e Cavaco, imensas. Não precisamos de uma coelha.

O LUGAR PERICLITANTE DO BENFICA

Jesus não ganha nada em repetir lugares-comuns. Na hora em que seria necessária toda a humildade e toda a prudência, lá se descai Jesus para o cantar-de-galo. Veja-se Mourinho: não facilita nesse capítulo. Toda a gente gostaria de estar no lugar do Benfica, mas antes do Vitória de Guimarães. A partir daqui os riscos de descalabro são enormes porque somado ao desgaste temos a pressão que o FC Porto, embora fracamente liderado, colocará por inércia, liberto que está do lastro competitivo. Em pouco tempo perceberemos se temos um justo campeão com colo ou sem colo. 

A PSICOSE "TER-DE-FALAR"

Cavaco não acerta uma. Só calado brilha ele. Quando emite opinião, bolça opinião. Se diz ficar «um pouco surpreendido» com os 35,4% de desemprego jovem, quem poderá acreditar na pequena surpresa?! Fora isso, a guerra surda com o Governo continua. Cavaco foge de alunos alevantadiços. Passos enfrenta galhardamente a multidão ululante. Passos sugere que emigremos como último recurso ou como prevenção. Cavaco espera que não precisemos. E não há mais elevação que esta forma retórica e pífia de os dois se  digladiarem.

TODOS FORAM HIPÓCRITAS

Mas a hipocrisia distribuiu-se proporcionalmente pelos diversos partidos e respectiva forma fracturada de votar. E ninguém saiu ileso.

quinta-feira, fevereiro 23, 2012

O VÍCIO DE PEDIR DESCULPA

A multidão de barbudos, sempre predispostos à ira e ao assassínio de inocentes — pavio curto, rastilho ainda mais curto , não tem sido apaziguada por pedidos de desculpas oficiais ou oficiosos. Portanto, é escusado pedi-las. O fanatismo sanguinário só se sossega no grande negócio dos dentes pelos dentes e dos olhos pelos olhos. Podemos começar a colecta de olhos e de dentes para lhes oferecer em sinal compensatório de Paz e Concórdia segundo a cartilha deles. Cambada de demónios! 

TUDO SOBRE O VISA CHARGE CARD COR-DE-ROSA

Como gastar, gastar, gastar e emprenhar optimismo por todos os poros? Só com o Visa Charge Card cor-de-rosa, cartão híbrido débito-crédito que o socratismo pariu para si. O meu caríssimo amigo António explica-o circunstanciadamente. Falta a este Governo a coragem de desbloquear a informação de que é possuidor e que clarifique como é que estes cartões  mero expediente e artifício para o socratismo gastar à tripaforra , foram usados. No dia sete de Fevereiro de 2012, o Supremo Tribunal Administrativo proferiu um acórdão que determina o fornecimento pelo Governo dos «dados relativos à atribuição de cartões de crédito, telefones, despesas de representação e subsídios de rendas dos gabinetes [ministeriais].» Este Governo está em desobediência e em manifesta obstrução ao apuramento da verdade. Foi-nos prometida transparência. Onde pára ela?! Acovardou-se, scilicet, remeteu-se àquele silêncio que consente. Até quando?!

DESORGANIZADO E DESATENTO

«Nicolau Breyner possui uma série de virtudes raras no meio artístico nacional: sabe actuar em frente às câmaras, tem experiência de vida e é politicamente assertivo, não se limitando a beber da cartilha do esquerdismo primário de que bebem tantos dos seus colegas. Mas enferma de dois defeitos fundamentais. O primeiro é que é desorganizado. O segundo é que é desatento. E o resultado é aquilo: um programa maquinal, sem chama e sem curvas de emoção senão aquelas que a entoação do próprio apresentador tenta criar.» Joel Neto

PORTANTO, SER DA "ESQUERDA MODERADA"

É roubar privilegiadamente e depois vir com uma barragem de treta para as TV e as Rádios, Augusto Santos Silva [ASS], e gostar de «malhar na Direita»60 mil euros/mês, ASS?! Se a Esquerda Moderada se comporta com extrema rapacidade, quando no Poder, abusando impiedosamente do Erário, então torna-se inimaginável o que sucederia com a Esquerda Extremista, Anarquista, Caviaresca, Autofágica. Portugal entraria em falência à velocidade da luz. Mas regressando um pouco atrás, não haverá alguém, um homem sequer, capaz de investigar a porcaria exacerbada que o socratismo todo pariu e que fosse capaz de agir em conformidade, produzindo uma acusação com cabeça, tronco e membros?! Eles compravam Figos, eles compravam Pinas, eles jantavam e almoçavam várias vezes de cada vez, davam-se prendas. Eles gastavam balúrdios com make up e grandes passes de media e grandes poses de coisa nenhuma. Eles tinham impulsos optimistas com o dinheiro dos contribuintes. Eles faliram Portugal. Não há por aí um pouco de Justiça que se faça?!

O LABIRINTO INEXTRICÁVEL DE CAVACO

«A situação não se resolve, pois, com brejeirices, como se tivéssemos entrado na época do "tiro ao Cavaco", como disse Marcelo Rebelo de Sousa. O Presidente deve saber que (como há muito o estabeleceu a teoria dos speech acts) em política "dizer é fazer" - até porque, sendo professor, tem a dupla experiência dessa realidade. "Dizer" um disparate ou uma asneira é, em qualquer dessas funções, "fazer" um disparate ou uma asneira. E agora? Agora, é preciso que o Presidente da República reinvente o seu estatuto, tanto no que diz como no que faz. Ajudaria se optasse pelo salário das suas funções, em detrimento das suas legítimas pensões. E ajudaria ainda mais se encontrasse a disponibilidade e a força interior necessárias para confraternizar regularmente com a angústia e o sofrimento dos portugueses. Só um golpe de asa genuinamente solidário evitará o colapso presidencial.» Manuel Maria Carrilho

MAIS UM ESFORÇO E ABSOLVE-SE TODA A GENTE

«É pior não ter decisão que uma má decisão», eis outra forma de consolo para opinadores encartados e Opinião Pública em geral. Reduz-se, desagrava-se, mas diz-se que não se reduz e que não se desagravam penas, pois se trata de uma "nulidade", a caminho da pacificação social. Isso e o defeito de se ter tratado de um megaprocesso, complexo e moroso. Caso encerrado.

ENXAGUAR CONSCIÊNCIAS. VENDER AUTO-ESTIMA

Os fedorentos socratistas inventaram as certificações à la minute. Coisa única no mundo e quiçá na Europa. A indústria da certificações instantâneas empregou técnicos. E assim andaram ao engano milhares de idosos, milhares de velhos abandonistas escolares, toda a fauna enfim dos que ou porque não quiseram ou porque não puderam, passaram a poder e a poder rapidamente e de qualquer maneira. Se este Governo permitir [tem sido escudo e couraça do anterior], por quantas fraudes prestará finalmente contas o socratismo?! 

NÃO PODEM SER SÓ ALGUNS, POUQUINHOS?!

O ódio irracional ao mensageiro [jornalista, blogger, etc.] e o ódio ao soldado ocidental unem misteriosamente a esquerdalhada, os mal fodidos do anonimato eterno por aqui e por ali, sempre ressabiados e sempre inexistentes, e os taliban afegãos. Bastou o acto irreflectido de incendiar por engano uma pouca de livros corânicos e já se reclama «a morte de todos os soldados estrangeiros no Afeganistão». Não podem ser só alguns pouquinhos?!

quarta-feira, fevereiro 22, 2012

MAIS UM A MORDISCAR O PÓ

Atirado borda fora como se fosse um embrulho comprometedor, António Nunes Coelho, 49 anos, ainda estava vivo “entre 15 minutos a uma hora” depois de ter sido despejado numa ruela deserta de Bruxelas pelo patrão e dois colegas da obra, também portugueses, onde estava a trabalhar ilegalmente. O suposto crime que vitimou o António resume-se nisto: depois de ter caído de um andaime, vítima de um ataque cardíaco, em vez de ser socorrido, foi transportado de camião e largado num local deserto. As autoridades belgas investigaram o caso ao longo de quatro meses e, segundo noticiou ontem o jornal belga La Dernière Heure, a autópsia concluiu que o português foi abandonado ainda com vida. Adenda: notícia lida e relida no Público e no JN. Mistérios do nosso célebre balde de caranguejos.

AGONIZAR E MORRER NO ETIHAD STADIUM

Já se pode fazer o balanço destes meses de Vítor Pereira? Miserável! Não se esperaria milagres no Etihad stadium, ainda para mais contra aqueles façanhudos robots possantes movidos a dinheiro, mas, dentre os jogadores do FC Porto, a atitude vai nula, o ânimo mortiço, o acerto e a criatividade a partir do banco, um Zero Habitual. De morrer. Durante os jogos, Vítor faz aquela cara de coruja muito atenta e nada acontece de bom. Como alguém já escreveu, Vítor Pereira, que é muito bom rapaz, não aprende. Jamais. Competição após competição, o FC Porto morre mais um pouco e configura-se um cenário de humilhação com um fantasmagórico déjà vu: começar a ganhar, mas depois empatar. E, finalmente, perder. Incrível como o desastre pessoal-profissional de Villas-Boas e desportivo FC Porto gritam até à rouquidão uma só evidência: «Não era ainda o tempo, palerma!»

INSACIÁVEL E MALCHEIRENTA MALFEITORIA

Todos foram tratados como palhaços,
menos os amigos.
O bando de energúmenos que compunha o núcleo duro do socratismo não está na prisão. Mas devia estar ou, melhor, porque era composto por quanto lixo a vida política pariu, deveria ser castigado exemplarmente e que o menor dos castigos fosse a prisa. O escândalo de termos sido apascentados por semelhante corja revolta as entranhas. Há uma nova escandaleira que deverá ser esclarecida e bem esclarecida pelo DIAP, se tiver colhões para isso. Pelo Correio da Manhã de hoje inteiramo-nos de adicionais comportamentos abjectos do mariolas Sócrates. Ficámos a saber que Ministros e outros governantes de José Sócrates tinham um cartão de crédito adivinhem pago por quem. Por nós. Funcionava como "suplemento remuneratório", tal como o tribunal de Contas o classificou. Tal suplemento inflava a remuneração efectiva de cada ministro contemplado para lá dos 10 mil euros por mês. Como muito bem se explica aqui e aqui, a situação é de crime continuado e a moldura da prevaricação está tipificada nos artº 375º e 386º n.º 4 do Código Penal. É só fazer as contas. Adenda: Entretanto, cúmulo da ironia, é o actual Governo a paralisar e tornar-se óbice ao bom esclarecimento daqueles desmandos. Porquê? Toda a gente gostaria de compreender por que motivo se obstaculiza a verdade. O cabal esclarecimento dos desmandos da socratinitude não deveria ser negociável, estando no cepo o pescoço de milhões de portugueses.

O DEDO SELECTIVO [OU NÃO] DE MÁRIO SOARES

Exulto de alegria se o que Soares escreve faz pressupor largueza da Justiça contra os que malbarataram os recursos dos portugueses. É que se pensarmos em João Jardim, Oliveira e Costa, Rendeiro, Dias Loureiro, teremos de pensar em Sócrates, no resto da maralha, e nas suas PPP absolutamente mafiosas e comissionistas: «Há algum dinheiro que tem vindo a escoar-se em "buracos", alguns que são conhecidos, mas que o nosso Zé-Povinho não soube como aconteceram. Tais como: o BPN, o BPP, e mais recentemente a Caixa Geral de Depósitos, a Madeira, etc., sendo que os presumíveis responsáveis continuam impunes e a Justiça, quanto a estes e a outros casos, mantém-se, silenciosa.» Mário Soares

RESPOSTAS ÓBVIAS

O Correio da Manhã não se pode esquecer de desassossegar a quadrilha que conduziu alegremente Portugal à beira da bancarrota e a despesas insultuosas com os cartões de crédito que o Estado e o contribuinte apadrinhava. Por que temos de sofrer nós, sem qualquer culpa, enquanto Sócrates se passeia de bicicleta e paga almoços aos apparatchiks europeus quando lhe roçam a mesa parisiense?!

HARAQUIRI PROFISSIONAL E CRÓNICAS-CARRAPATO

As coisas começam e acabam. Um jornalista abraça um projecto e pode matá-lo alegre e alarvemente. Foi o que fez Pedro Rosa Mendes. Daí a concluir-se que o fim desse programa de crónicas Este Tempo da Antena 1 "configure um acto ilícito", como considerou polemicamente esta manhã Mário Figueiredo, Provedor do Ouvinte da RDP, que está a ser ouvido na comissão parlamentar de Ética, vai um grande eito. Quer dizer então que o mártir jornalista Rosa, o puro e inocente jornalista-cronista Rosa, não cometeu haraquiri profissional?! Pois foi isso que ele fez. E cuspiu no prato de lentilhas do seu dedo acusador, do seu moralismo a destempo, da sua hipocrisia embaraçosa para os actuais esforços de Estado. Comissão por comissão, por que não formam uma brigada na RDP especializada em dar pancada na China e em Angola, através de crónicas-carrapato bem mordazes?! Dessarte, Portugal será mui bem servido. Parasitas!

PS ENTERRA PORTUGAL

Novamente. Está nos genes do danoso partido-coveiro. Seguro, nos seus pronunciamentos oraculares acerca do tempo e do dinheiro, faz mais mal a Portugal na projecção internacional do nosso esforço que um exército de chineses entrando pela barra do Tejo.

terça-feira, fevereiro 21, 2012

UEFA, COISA ESTALINEANA LIDERADA POR PLATINI

Eu não confio na isenção da UEFA, demasiado poderosa e rica para não ser facciosa e corrupta, para não dizer selectiva e casualista. Agora vem para cima do FC Porto, claro. E com aquela celeridade sobre um País exemplar no convívio e na diversidade étnica, como é o nosso. Quem a não conhecer que a compre. 

ABAIXO CATRAIOS COMO O ROSA!

Não sei se Salazar está vivo  ele que era um fruto anafado e colectivo de amestrados filhos prontos da Santa Inquisição e do beatério mais reactivo  sei é que há gente que gosta de ser despedida e não tem a mais leve ponta de ética de Estado, apesar de inteligentíssima e libérrima de língua, como o Pedro Rosa Mendes catraio. Foi evacuado e já foi tarde.

NÓS, ESTA TRIBO DE OTÁRIOS MAIS A NORTE

«Apesar de habitarmos em apenas 23% do território e sermos 35% da população, produzimos 40% do VAB, temos uma balança comercial excedentária (a taxa nortenha de cobertura de importações pelas exportações é de 129%, contra uma média nacional de 74%), representamos 50% do emprego industrial - e somos, desde 99, a região mais pobre do país, com um rendimento per capita de 80% da média nacional e 65% da comunitária. Já é tempo de pôr um ponto final a este abuso.» Jorge Fiel

VIDA ENCORNADA

Quando o Povo se vê demasiado encornado, descansa o mais que pode. Deixemos a produtividade para os políticos e para os legisladores. Foram eles que nos trouxeram até aqui, faina penelopeniana de fazer e desfazer alternadamente. Os políticos que chularam festejam, fazem férias e têm folga. As pessoas desempregadas, tornadas imprestáveis, aconselhadas a emigrar, têm ainda muito que penar entre portas, quando ninguém pode ver o pedaço de pão e o gole de leite a servir de jantar.

O PRECIOSO PARLAMENTO

Se este miserável assunto da água não tem resolução fácil e célere na trôpega Casa da Democracia, estamos tramados. Há um lugar gradativamente bizantino e fútil em Portugal. É o Parlamento. Deus tenha piedade de nós.

AQUELE POVO OBEDIENTE NO EXTREMO OCIDENTAL

Na hora de cumprir, ainda que esmagando as pessoas em benefício frio dos números certos, somos bons. Essa 'bondade' corre mundo e impressiona. Não é para menos. É todo um Povo aceitando a cicuta do empobrecimento compulsivo, alombando com o ónus todo, em vez do culpado Sócrates parisiense, deslizando impune entre delícias como bom playboy do PS que é. Um País que não limpa as mãos disto, merece sofrer o mais possível. E um Governo que não abre a Justiça ao julgamento disto, ao apuramento cabal de quanto desemboca nesta miséria prometida, merece toda a coça quotidiana que é possível.

ASHLEY ANNE VICKERS EM VALE DE CARNE

ABUTRES À VONTADINHA

O patético Daniel Oliveira resolve contestar a mensagem patética do patético Luís Fazenda. Mas tendo em conta que nem BE nem PCP querem o poder  querem somente muitos cadáveres para continuarem a ser abutres à vontadinha  as derrotas eternas da Esquerda [em Portugal] estão garantidas à partida.

CRISE, MAS NÃO DE HABILIDADE

Nós, portugueses otários, agora depenados por interpostos políticos idiotas, e outrora traídos por políticos absolutamente dissolutos, dispensávamos notícias destas. Sempre más.

EXPURGADO DAS LISTAS, EVACUADO DO SISTEMA

Passam anos sem que me submeta à câmara kafkiana do SNS. Aliás, tem sido de longe preferível um bom privado a depenar-me, tratando-me de uma forma célere e eficaz a um problema ocasionalíssimo. Não quero crer que terei de maldizer a minha saúde e o meu quase nunca estar doente.

DSK, O BENEMÉRITO SEXUAL

DSK segue a sua via-sacra por ser um consumidor sexual de elevada exigência e espectro alargado nas preferências: creio que tudo isto advém do facto de ser milionariamente de Esquerda, portanto, um socializador do sexo e dos seus benefícios. O que choca aqui é que lhe atirem a primeira pedra certamente os que não têm quaisquer pecados. Enfim, seja servida a Justiça, manifestamente selectiva e politizada.

BENFICA TOMBA PELA PRIMEIRA VEZ

O Vitória de Guimarães esteve perfeito. E isto é significativo tendo em conta os longos meses erráticos por que passou, varado de problemas desde a direcção ao balneário. Deve sublinhar-se que não foi o Benfica que esteve mal. Foi o Guimarães que roçou a tal perfeição culminada na vantagem. E assim se vê como, nesta altura [expressão usada e abusada por Artur Jorge], a Liga em Portugal fica bem mais interessante que a espanhola.

segunda-feira, fevereiro 20, 2012

BELÉM BEM AQUÉM TAILÂNDIA

«As relações de Portugal com aquela potência asiática, situadas no quadro da viragem da política mundial que se vai centrando no âmbito das margens do Pacífico, revestem-se hoje de uma extrema importância, facto que o Palácio de Belém não poderá ignorar. Seria desejável a máxima representação do Estado naquela cerimónia que dentro de poucos dias decorrerá em Belém, mas existem informações absolutamente fidedignas acerca de mais uma não-presença presidencial naquele acto. A Chefia do Estado é antes do mais representativa e protocolar, assim se entendendo o seu alegado caracter supra-partidário e simbólico. Embora reconhecendo-se a quimera deste distanciamento numa forma de representação republicana cujos limites são bem conhecidos, a Presidência da República deveria esforçar-se por entender o peso de uma história que conta perto de um milénio. Marcando sempre posição em qualquer reunião empresarial ou do restrito mundo da plutocracia de elite, a Presidência da República tem ignominiosamente descurado os seus deveres protocolares, precisamente aqueles que não se compadecem com crises económicas ou apetites de sector, seja este político ou financeiro.» Pedro Quartin Graça; Miguel Castelo-Branco; Samuel de Paiva Pires Nuno Castelo-Branco

BENFICA BAQUEIA EM GUIMARÃES

A primeira parte já acabou em Guimarães. Se se mantiver este resultado [derrota benfiquista por 1-0], a Liga torna-se bem mais interessante. Carrega, FC Porto!

QUANDO SÓCRATES COMPRAVA PINAS

E ainda hoje Pina não aborda assuntos com Sócrates dentro, não se percebe se por um desejo de se não conspurcar, o que é perdoável, se somente para não hostilizar afinal a mão animal que lhe pagou um almoço feroz. Gosto do Pina e é uma pena que obcecado que está com os troykistas Passos, Gaspar e Portas, nunca alargue criativamente o âmbito da sua fixação aos agentes remotos da actual austeridade e do diabo que nos carrega: «Uma coisa parece certa: o convite para almoço não foi por amizade, curiosidade ou simpatia particular. Foi certamente por interesse em catar um intelectual, para um círculo de giz protector. Manuel Pina diz que depois se distanciou de Sócrates quando descobriu por si que era um mentiroso. Não disse assim, mas vai dar ao mesmo. Devia ter percebido logo aquando do primeiro telefonema quem era a pessoa em causa. Até porque já havia muitos a dizê-lo e com provas do carácter pinoquial. Estas coisas são sempre uma pena porque denotam penosamente um traço: o poder, quando quer, compra amizades ou, melhor dizendo, compra neutralidades críticas.» josé

O PARTIDO DE CATROGA NÃO É O PSD

Não percebo a fona hoje, no Público, da jornalista socialista e bastante socratista São José Almeida, de, no seu artigo de quatro páginas, dizer que Eduardo Catroga não tem partido, quando a verdade é que Eduardo Catroga cheira a PSD há mais de 30 anos com aparente adesão oficial em Maio de 2005. Mas o partido de Catroga não é o PSD: é Portugal. Catroga é um patriota que chora as malfeitorias deixadas por José Sócrates, se recusa a negociar pentelhos, e finalmente se sacrifica até ao paroxismo da abnegação ao aceitar o sacrificado lugar de Chairman da EDP  presidente do Conselho Geral e de Supervisão. Eu queria ser assim heróico e patriota. Abnegado, autodespojado dos menores fumos mundanais.

MAIS UM POIO DE SEGURO

Cada cavadela, cada minhoca, Seguro abre a boca e sai um enxame de vespas capaz de ressuscitar uma múmia ou sai coisa pior. Em resumo, Seguro está lá para levar o desastre do PS e de Portugal à perfeição, se o deixarem à vontadinha. Bastou uma reunião de mais de uma hora com a Troyka, para o PS averbar uma estrondosa derrota e um atestado de incompetência junto dos representantes do referido Tripé. António José Seguro disse que «houve pontos de vista bem divergentes sobre o processo de consolidação das contas públicas e sobre a austeridade», mas poderia referir a recriminação velada de que foi alvo pela quantidade de alarvidades anti-patrióticas, tiros nos pés, que deputados e outros responsáveis do PS têm emitido desestabilizadores. Era a altura de serem extremamente cuidadosos com a converseta do reajustamento e quejandas e pautarem as sôfregas intervenções mediáticas por extrema sobriedade. Já basta a autofagia demencial do Pacheco Pereira. Já basta o espingardante Arménio Fóssil.

O PRAZER DE ALVEJAR

Não é por nada, mas o gosto de alvejar Cavaco cresce na proporção das suas aparições sonsas e das suas intervenções virginais. Pode vir Marcelo tentar pôr água na fervura. Em vão. Quando Aníbal procura passar uma imagem amadora de si, dos seus rendimentos ou da sua solidariedade, falha e cai redondo. Não é muito mau que se alveje Cavaco com esta ou aquela fórmula cómica, aquele sarcasmo, aquela sátira, este remoque. O mal está feito. Péssimo é que se deixe pastar em sossego o hiper-ultra-Cavaco — Sócrates, que se refastela tranquilamente em Paris e deveria bater o esqueleto pelos tribunais e não ter nem um décimo do descanso que o Estado de Pseudo-Direito lhe confere. Chegámos a um ponto em que o sarcasmo não enche a covinha de um dente. Nem o remoque, nem a sátira. É necessário ou Tribunal ou alguma violência compensatória.

DE AGONIA EM AGONIA, AGORA COM SÁ PINTO

Para erguer uma equipa cujo espírito equivalha ao dos da frente, especialmente ao indómito e ofensivo do Benfica, Sá Pinto precisaria de uma época inteira e de um regresso aos valores e promessas adiadas da Academia. Entretanto, cada jogo será a agonia por simplesmente não perder. As quase vitórias serão vitórias. Os resultados tangenciais goleadas espirituais. O Sporting foi intervencionado externamente: trocou-se o sofrimento de Domingos pelo sofrimento de Sá Pinto e dos seus, que é mais real e mais sanguínea e sportinguistamente puro. Mas ou se comportam como a Troyka com Portugal ou deflagrará consumada a iminente bancarrota anímica, desportiva e económica. Não é hora de ser piegas. Não vai muita distância entre o punho e as lágrimas do Sá.

domingo, fevereiro 19, 2012

E PASSOS DESCEU À TERRA

Acho muito bem que Passos desça à terra e apalpe a exasperação dos portugueses, dando o peito ao seu clamor em vez de se refugiar por detrás dos vidros fumados com que Sócrates fugia dos que lhe chamavam embusteiro, mau carácter, desgraça ambulante, rapacidade em pessoa. Perderia em qualquer caso, mas perdia a triplicar em preferir ambientes artificiais, meticulosamente pensados para a venda quotidiana da puta da imagem. A classe política, covarde e traiçoeira, pode mudar um pouco as coisas se se aproximar de nós para nos ouvir de perto, à distância do hálito pobre dos pobres. Podemos gritar, mas não mordemos. 

UM ALCAIDE ARMADO EM PARVO

Tem de se condenar veementemente a atitude parola do alcaide de Olivença que resolveu festejar a anexação criminosa e abusiva, pelos espanhóis, do território oliventino há 211 anos. Não deverá ser só o PS a não gostar e a tentar impedir a festa, mas todo o País, traído duplamente à pala das cretinas invasões francesas. Festas por uma desonestidade histórica monumental, eis afrontas e insultos quanto bastem, mínimo para azedar as relações entre os dois Estados.

O DOCE PLAYBOY PARISIENSE JOSÉ SÓCRATES

Estúpida e falaciosamente, a fonte que assume o argumentário autodefensivo do playboy parisiense José Sócrates só não diz como, na situação desesperante para que os seus governos conduziram Portugal, se evitaria efectivamente o pedido de ajuda externa, só diz as suas consabidas consequências. Chama-se a isto o silogismo do diabo. Porque ser capaz de dizer isto: «Vemos hoje tudo o que perdemos por ter pedido ajuda externa: níveis de desemprego, de falências, ratings da República, dos bancos: quantos anos vamos demorar a regressar aos níveis de há um ano?», mas não dizer dos excessos despesistas em que se laborou devoradoramente em ânsias eleitorais e derivas amiguistas nos ajustes directos e nas PPP coveiras, só mesmo dentro do âmbito das coisas infernais. Porém, nesta história, como Passos não invoca o passado, deve ser porque o quer absolver. Enquanto Sócrates e o bando não tiver um processo e não forem escalpelizadas as suas contas, nunca teremos aprendido a lição.

sábado, fevereiro 18, 2012

CAVACO MAIS SÉRIO QUE O PARTIDO SOCIALISTA

Não, não foi de todo a degradação moral que atingiu a Presidência da República. Apenas a ingenuidade amarela vertida, como nódoa primaveril, no manto diáfano da degenerescência e traição geral aos sonhos e desígnios dos portugueses. Na tentativa de vender falsa pobreza franciscana, Cavaco lixou-se. Foi fatal. Há quem forceje comparar Cavaco a Sócrates, mas deve sublinhar-se a incomparabilidade. Uma década de Cavaco foi muito menos grave para Portugal que um minuto de Sócrates, menos para as suas putas, para os seus órfãos, para os seus fiéis adorabundos prostrados em terra e de cu erguido, como boas biscas e boas bichas. A cabeça do animal ainda não foi colocada na travessa da Justiça. Só no cepo dos media. All in all, Cavaco com pouco esforço e apesar de sonso, segue sendo incomparavelmente mais honesto que todo o Partido Socialista.

NA PONTA DA GAITA

Sim, não foi certamente com a criteriosa ponta de uma tesoura que, quer-me parecer, os socialistas governaram nos últimos quinze anos.

OS IMBECIS DA TVI

Esse pessoal com prurido na virilha e acne na ponta dos apêndices ósseos do conselho de redacção da TVI, antes de se manifestar fosse contra quem ou o que fosse, deveriam perceber que Marcelo sem Júlio Magalhães é o começo do fim de mínimo Marcelo na TVI e que a audiência que ainda têm se lhes deve. É uma relação harmoniosa e simbiótica que não pode ser desfeita em TV. No dia em que Júlio sair ao toque amuado do pessoal ungulado e com epiderme queratinizada do conselho, vai o Jornal a pique. E vai muito bem.

ORÁCULO MENDES

O Oráculo Mendes descobriu que tem aquele mesmo alvitrar pouco dado a falhas graves típico de Marcelo. Elogiar Passos é como acorrer a um incêndio de elevada magnitude: a Oposição é incapaz e os erros próprios imensos. Passos, no entanto, só pode perder as próximas eleições se Arménio Fóssil se candidatar a Presidente do Comité Central da Esquerdalhada Geral, ganhar, e também for a votos. Nesse dia, se vierem o Pinóquio e o Pato Donald lutar igualmente pelo Governo de Portugal, terão votos.

sexta-feira, fevereiro 17, 2012

SER NOTÍCIA ERA HORRÍVEL

E ver devassado tudo, toda a sua negrura. E ouvir-lhe um amigo, dentre a mironagem mórbida, entrevistado pela TV, a dizer as palavras benditas: «Esperança, se as coisas estavam assim tão mal, desses logo um tiro em ti mesmo e não fazias mal às pobres criaturas.» Tardou.

AVARA LIÇÃO DE DESPRENDIMENTO

A avidez de Wulff ditou que acabasse nessa forma de derradeiro ou supremo desprendimento que é a demissão. Em Portugal, especialmente com socialistas como titulares [logo donos de tudo e de todos], parece que a coisa é mesmo vitalícia. A ética republicana só se aplica aos outros. Mas, enfim, temos Wulff a lembrar que caminhos novos podemos tomar: «Tendo em conta os acontecimentos dos últimos dias e das últimas semanas, não posso continuar a exercer o cargo». Nada melhor para refrescar as coisas.

quinta-feira, fevereiro 16, 2012

ARMÉNIO DEVERIA IR A PARIS NAMORAR

Por que motivo o palhaço Arménio Fóssil não vai a Paris pedir conselhos ao Sócrates que deve estar radiante com a ideia de ver o mais acabado louco, inflamado de fervor orginário, a foder ainda mais o País com paralizações, retórica, treta a rodos e montes de merda, como no abrilismo embusteiro?! Teríamos dois: Sócrates e Arménio. Um lixa Portugal pelas décadas e sai a rir. Outro lixa Portugal quando lhe dá na veneta, para descargo de consciência de classe e dos piqueniques da luta. Já agora, Pedro Elvis Mouth Silva Pereira, hoje convenientemente seráfico, repleto daquela bonomia de mega-aposentado, vem defender as virtudes curativas do famigerado PEC IV, em entrevista à RTP, e admite conversar amiúde com o mentor Primadonna. Por que não se organiza uma higiénica comissão de inquérito ao quadriénio fatal 2008-2011, só para ficarmos conversados acerca de responsabilidades pelo Estado de carência actual?!

SPORTING: JÁ CHEIRA AO PUNHO DA RETOMA

Hoje, na Polónia, onde perde. Está à vista que isto mais Sá Pinto menos Sá Pinto, mais Domingos menos Domigos — apunhalado nas costas pelo longo punhal na mãozinha curta e papuda de bebé de Godinho-Cara-de-Bebé  isto só mesmo sem Godinho, e talvez o Sporting lá vá. E, e...
[Adenda: ninguém aqui se congratula com a derrota enquanto vício por onde andava o Sporting. Parabéns ao clube pelo empate promissor de ontem.]

A MINHA INFECÇÃO URINÁRIA

Contraída sabe deus em que cagadeira pública ou por que circunstancialismo frígido-higiénico, fez-me sentir mais morto que vivo ao longo de quatro arrastados dias de mal-estar e dores excruciantes. Sofrer é bom. Aprende-se. Aprendi desde logo que deveria procurar médico à primeira oportunidade. Só o fiz ao quarto dia. Bastou o antibiótico da praxe. Percebi que não valho sinceramente nada. Sou lixo, sou pó. Um nada. Já nada. Nada em todo o lado e em todas as coisas, nada para todos, e, no entanto, adoro-me, acho-me o máximo, sinto-me genial cá a sós muito comigo porque o essencial, deixem-se de tretas, faz-se, sabe-se, sente-se a sós. Olho em volta os imbecis incapazes de ironia, de contradição, do sal de uma apóstrofe mais sarcástica, na sua vaidade asfixiante. Sinto-me marginal nesta merda safada da Bloga Nacional, a Grande Cona. E sou vincadamente tratado como marginal pelos impecáveis e os milhares que seguem os impecáveis. Tirando isso, é bom saber que há Deus, há a Família. E o Fado pode ainda servir de extrema unção. Simplesmente, não foi desta, foi só extrema bênção.

AO CAMARADA ABÉCULA LUÍS

Que absoluto disparate. Alguma vez esta gente sindical quis saber de desempregados? Pagam-lhes eles as cotas? São elas plasmáveis pela retórica fóssil do camarada que não mobiliza nem uma varina? Esse post, ao contrário do outro em que o escaravelho empurrava a bola de estrume do sitemeter, é um escarro, embora, para escarro, tenha classe só porque és tu a escrevê-lo. Mas nem só de forma vive um homem. PS.: Não nos fodas, Luís, logo tu, que és inteligente e refinado como um prato de ostras com trufas e chardonay ou lá o caralho. Obrigado!

COVARDIA E DEFINHAMENTO

Gosto dos políticos aclamados, como o messias Sidónio, mas que sabem ter a honra de suportar um ovo podre na testa ou mesmo o tiro cruel e traiçoeiro, como o mesmo Sódónio, messias provisório de Portugal, tão cedo ceifado, coitado. Ainda que instrumentalizados por agitadores experientes e façanhudos, outrora eficazes contra a socratice e a maria-de-lurdice, aqueles alunos mereciam um Presidente com couraça, que os enfrentasse e lhes sorrisse, respondendo com grandeza e humanidade aos cartazes e à testosterona que lhes deu um dia soalheiro de folga, com largas para muito almíscar humano pelo ar misto. Seria belo. A notícia do século, quem sabe.

FÓSSIL E RECORDISTA DAS GREVES GERAIS

É fóssil e veio espingardar. Chama-se Arménio e em matéria de classe, calma, e aprendizagem com a História, temos um arménio abaixo de zero. É preciso ter azar ao ponto de nem sequer termos tido o sindicalismo que mereceríamos e o azar ainda maior de restar, fossilizado, mumificado, no pobre e monco que temos este estafermo e falido fundo mais extinto e anacrónico de todos os Partidos Comunistas. Dentro do feliz País que ainda trabalha, quem que tiver pachorra com esses merdas dispostos a piorar o que já roça o puro bedume, faça o favor de se perfilar na Greve geralmente só geral porque feita de coacção calhorda e baixa, fruto do condicionamento de muitos por parte do arrufo atrevidote de uns poucos. Boa Ideia: o Arménio e os Camaradas podem bem pegar na sua "Greve Geral" e enfiá-la também.

ENFIEM A VOSSA SOLIDARIEDADE

É isto: depois dos manifestos de coçar la pisse, vêm as cartas de solidariedade. Há uma caterva de parvalhões desastrosos para Portugal, em vários domínios, por vários motivos e por várias vezes, apodados pomposamente de "personalidades portuguesas conhecidas pelas mais variadas vertentes da sociedade", que se juntou «finalmente» para espalhar verve, isto é, para escrever uma demonstração de apoio ao povo Grego. Puta que os pariu! Estas merdas dos Desastres Nacionais Alheios não vão com manifestações de apoio. Não seria melhor estarem solidários na mesma, mas calados?! Solidários, mas discretos e calados?! É que entre os nomes absolutamente previsíveis destas solidariedades para encher chouriços destacam-se Mário Soares, Almeida Santos, Eduardo Lourenço, Carvalho da Silva e Vasco Lourenço. Se por um breve momento considerarmos o papel estrénuo que desempenharam para nos tornarem ainda mais "solidários" dos gregos, estamos conversados.

PEZINHOS DE LÃ

Perante a lógica canhestra que mantém diminutos os poderes dos professores na sala de aula, quer na perspectiva dissuasora quer na punitiva, parecem pequenas, singelas, quase invisíveis, as marcas do consulado crato-continuacionista do que nefandamente vinha detrás. Porventura é tudo hoje devidamente perpetrado com pezinhos de lá, pitadas inéditas de bom senso, lata audiência multilateral para enriquecimento da derradeira e tardia decisão final. Porventura! Pensar que o Básico ainda tem aulas de uns insanos Noventa Minutos, a desafiar toda a sã Psicologia, mas não certamente o engendramento de monstros! Ante isso, isto já não é nada mau.

segunda-feira, fevereiro 13, 2012

ACENDAMOS UMA FOGUEIRA NA PRAÇA

É o bom senso e a prova do uso que desde logo destroem a viabilidade do Malacacordês. Faltam mais espíritos, além deste, livre e lúcido, para engrossar as fileiras dos que dizem «não!» ao novo pornografar ortográfico, dupligráfico, cacofonográfico. Por que não acender uma fogueira na praça e ir pôr a arder [aqueceríamos as mãos] tudo o que o desgraçado Malaca publicou sobre o absurdo assunto?

domingo, fevereiro 12, 2012

CGTP E A ESTERILIDADE DA RUA GREGA

Com este clamar patético, a CGTP não pode estar a carburar bem da mona. Por seu lado, os extremistas gregos não podem ter amor à sua pátria ao piorar o que já é péssimo. Não foi isso que islandeses fizeram ou irlandeses. Nós, portugueses, temo-nos por cá e pelas sete partes do mundo, espalhados, a olhar pela vida. Sabemos bem que o fogo, o gás, as pedras e os paus são completamente estéreis, embora entretenham o pessoal fóssil sempre com a Esquerda e o Estado na boca. A rua é estéril. Nenhuma transformação. Nenhuma alteração. Só devastação e vazio. Bom proveito.

sexta-feira, fevereiro 10, 2012

NÃO HÁ CARTEIRISTAS EM MANCHESTER

Depois de Merkel, Schulz, os manchesterianos também alertam para a nossa condição de bichos do Sul. Desta vez o nosso declínio não é por termos os governantes a viajar para Angola para convocá-los a investir cá, ou por, na condição de estra-terrestrianos, fazermos bons negócios da China e logo com os chineses, precisamente. Não. É por termos carteiristas entre nós.

DO RESSABIAMENTO ASQUEROSO PACHECO-PEREIRESCO

O 'intelectual' Pacheco é uma coisa em forma de assado e, ainda intelectualmente, um acabado parvalhão. Por que motivo não se faz internar num asilo a jogar cartas com o Gumarães Rosa?!: «Tem que haver expiação dos pecados, ou seja tem que se mexer na cabeça e no corpo das pessoas para extirpar o mal e, para isso, aconselha os portugueses a serem “menos piegas”. Num país civilizado, bastava esta frase, no actual contexto de crise violenta para as pessoas, para derrubar um governo. Aqui, a sorte do governo é que as pessoas ainda são muito complacentes, ou, se se quiser, “piegas”. [...] Não, senhor Primeiro-ministro, os “agentes” não se “ajustam muito rapidamente” ao empobrecimento de uns e às prebendas de outros, à linguagem que reduz os contratos sociais que são “direitos adquiridos” a apenas contratos empresariais das PPP, à ideia de que que quem não é “competitivo” merece o desemprego e a miséria e ainda por cima ser insultado de “piegas”.» Pacheco Pereira

ARANDA E A SUA PIETÀ COM MARIA DE NIQAB

Em foto premiada, mulher consola ferido durante revoltas no Iêmen - Samuel Aranda/World Press Photo
O fotógrafo espanhol Samuel Aranda ganhou o primeiro prémio no World Press Photo 2011,
com uma imagem das revoltas no Iémen, que foi publicada no jornal norte-americano
The New York Times.

UM PAÍS QUE MIJA «FORA DO PENICO DA UNIÃO»

Há que fazer uma vénia ao rei da crónica em Portugal por este texto absolutamente suculento em relação ao dislate intrusivo schulziano: «O sr. Martin Schulz, presidente do Parlamento Europeu, basicamente disse: Portugal não é Bélgica (ou a Áustria, ou a Dinamarca...) É o raio de um país com dez milhões de habitantes  por aí, um simples Luxemburgo engordado - mas com uma pegada impressa no mundo que só encontra rival europeu em França, Espanha e Inglaterra. Compreende-se que isso enerve um alemão. Daí que, quando Schulz apela ao patriotismo europeu  sublinhando, justamente, a junção do progresso económico e os direitos dos povos , se lembre de trazer Portugal para a liça. Porque nestes tempos de profunda crise europeia na economia e nuvens ameaçadoras sobre os direitos, incomoda que o pequeno país que é Portugal queira  pior, possa  mijar fora do penico da União. Que tropas francesas intervenham por um dos candidatos presidenciais na Costa de Marfim ou Angela Merkel leve a Siemens ao colo até à chinesa Guangzhou é próprio das grandes potências. Já o minorca Portugal ir negociar para Luanda atrapalha a coesão europeia.» Ferreira Fernandes

quinta-feira, fevereiro 09, 2012

NÃO SE NOTA

Mikhail Gorbachev

«The former Soviet leader Mikhail Gorbachev has said Vladimir Putin has exhausted himself as Russia's leader.» Miriam Elder

«O NOSSO CASAMENTO ESTÁ POR UM FIO»

Um fio de aranha. Ele é a teia. E ela a aranha.

'CONVENHAMOS'

'Convenhamos' que os sem-abrigo devem evitar sair das arcadas, de debaixo das pontes e de dentro das camas-de-papelão. 

DO ABAIXAMENTO POLÍTICO EM PASSOS DE JOELHOS

Compreendo mal as fúrias que se levantam contra Passos Coelho: diga lá o que disser, a tendência é extrapolar-lhe os sentidos e acender raivas que não vimos contra quem nos fez a cova. Este homem é decente e também não nos poupa, mas por favor nunca esqueçam os pregos cangalheiros que Sócrates pregou para fazer perfeito o Caixão Nacional. Nunca se desceu tão baixo senão com Sócrates. Sair do estigma e da colagem ao que tem sido um primeiro-péssimo-ministro levará décadas. Se, por um lado, é uma evidência que os políticos não são pagos em consonância com as altíssimas responsabilidades que assumem, a verdade é que o cidadão, traído e enganado por eles, não tem por que nem por onde sensibilizar-se com esse problema. Nem agora. Nem jamais. Nós, os precários, os a recibos verdes [crime que perdura obsceno e desmoralizador] estamo-nos a cagar para o que não ganham e deveriam ganhar os políticos. E agradecemos que Passos nos faça o favor de se não ajoelhar em nosso nome diante seja de que credor ou potência for. Os alemães parecem estar já a afiar as facas com que nos equipararão à Grécia se lhes der jeito.

NA MOSCA

«É no entanto necessário dizer a Martin Schulz e a todos os amigos alemães, a senhora Merkel incluída, que esse risco é consequência das desastrosas políticas europeias que têm sido determinadas pelo Governo alemão, que empurra Portugal e outros Estados-membros para recursos exteriores à União Europeia (UE), onde interesses contrários aos da UE podem de facto fazer perigar as possibilidades de progresso desses países e do próprio projecto europeu.» Ana Gomes

INTERESSADOS?

«São já cerca de sete milhões os empregados em “minijobs” na Alemanha, com remunerações inferiores a 60 cêntimos à hora e com funções consideradas de menor importância, de acordo com o “El Economista”. Limpar chão e lavar pratos estão no topo dos “minijobs” mais oferecidos pelas agências de emprego a preços reduzidos, e estes são considerados o “backstage” do milagre do trabalho alemão.» Andreia Major

LIÇÕES ANGOLANAS SOBRE O NÃO-ABASTARDAMENTO

«Escrevemos à nossa maneira, falamos com o nosso sotaque, desintegramos as regras à medida das nossas vivências, introduzimos no discurso as palavras que bebemos no leite das nossas Línguas Nacionais. Do ‘português tabeliónico’ aos nossos dias, milhões de seres humanos moldaram a língua em África, na Ásia, nas Américas. [...] O português falado neste país tem características específicas, uma beleza única e uma riqueza inestimável, que devem ser mantidas, assim como tem o português do Alentejo ou o português da Bahia. Todos devemos preservar essas diferenças e dá-las a conhecer no espaço da CPLP. Não é aceitável que através de um qualquer acordo a grafia seja esquecida. Se queremos que o português seja uma língua de trabalho na ONU, devemos, antes do mais, respeitar a sua matriz e não pô-la a reboque do difícil comércio das palavras.» Jornal de Angola

INVEJA E PRECONCEITO POLIDOS DE SCHULZ

Mas «declínio» português porquê, Schulz? Sim, nós temos relações privilegiadas com Angola e com o Brasil e muitos mais países exo-europeus, e então? A UE tem servido para escoar produtos alemães e franceses à restante parvalheira periférica e para esses dois países pregarem lições de moralidade e boa economia na casa alheia, tendo eles mesmos falhado e derrapado os seus défices noutros momentos. Demasiada hipocrisia e demasiado nacionalismo por todos os poros. Só há um caminho: rechaçar o lixo schulziano e ir mais longe do que todas as Troykas e toda a obtusidade nórdica, cumprindo, desfazendo o anátema e todas as razões recentes para anátema deficitário. Não podemos falhar porque ninguém nos dará a mão ou perdoará, se falharmos: «Há umas semanas estive a ler um artigo no Neue Zürcher Zeitung que até recortei. O recém-eleito primeiro-ministro de Portugal, Passos Coelho, deslocou-se a Luanda. [...] Passos Coelho apelou ao Governo angolano que invista mais em Portugal, porque Angola tem muito dinheiro. Esse é o futuro de Portugal: o declínio, também um perigo social para as pessoas, se não compreendermos que, economicamente, e sobretudo com o nosso modelo democrático, estável, em conjugação com a nossa estabilidade económica, só teremos hipóteses no quadro da União Europeia.» Martin Schulz

TUDO ACERCA DE VALENTIM LOUREIRO USAR LINDOR

Valentim usa fraldas por incontinência urinária, pelo menos? Usa. É o que circula. O certo é que há demasiado lodo no "cais" da impunidade portuguesa e o Daniel ilustra-o com acuidade total. É claro que a leitura do excelente excerto seguinte não dispensa a pedagógica leitura do artigo todo: «Conclusão 1: depois de centenas de milhares de euros gastos em investigação policial e tribunais, vai tudo preso? Não. Nada. Além disso, o negócio só foi descoberto por acaso durante o "Apito Dourado".... Outra dúvida: por que pagaram os administradores da STCP uma verba irreal por um terreno duvidoso? Quem os pressionou? Por fim: qual a decisão do tribunal quanto ao filho de Valentim, ao vice-presidente da Câmara, e ao amigo advogado? O tribunal condenou-os apenas por branqueamento de capitais em um ano e dez meses de prisão... com pena suspensa. That's all folks!!! Conclusão 2: com tão notável serviço público ficamos agora à espera que a filha (e vereadora) de Valentim tome o lugar do pai em Gondomar e o "major" avance sem medo para a Câmara do Porto. Como não falta dinheiro nos offshores do clã, não deve ser difícil pagar a oferta de electrodomésticos aos eleitores e obter vitórias retumbantes. O populismo é filho da miséria, incluindo a moral.» Daniel Deusdado

quarta-feira, fevereiro 08, 2012

COITADA DE NORA BERRA, AGORA NA BERRA

Tenho pena que as palavras traiam os escreventes tantas vezes. As palavras mal enquadradas, mal explicadas, simplistas, retiradas do contexto. São essas que têm servido para assassinar imagens e cobrir de ridículo as vítimas. Não sei se foi o caso de Nora. Mas tem sido, para deleite sôfrego dos catadores de lapsos e gaffes, o caso de Passos.

DEPOR POR DEPOR, PONHAM SÓCRATES A DEPOR

Se Sócrates goza de imunidade, vive sereno e impávido no seu exílio parisiense e não há media que lhe impute responsabilidades, que o desassossegue de erros e actos manifestamente dolosos, querem o quê de Passos Coelho?! Abram um precedente, como os islandeses, e processem o nefando Primadonna: «O senhor primeiro-ministro vem ao Parlamento, de acordo com o regimento, de 15 em 15 dias, responder às questões dos senhores deputados. Essa é a posição clara e objectiva do Governo e é assim que acontecerá» Miguel Relvas

NÃO É MENTIRA

Enquanto os socialistas, os comunistas e os bloquistas nos garantem que seremos uma nova Grécia [quer queiramos quer não], há quem pense e diga precisamente o contrário. Temos de escolher o lado certo. Eu já escolhi. Estou com que resista à fatalidade e contra a mentira: «Há reformas estruturais feitas, outras negociadas, outras em discussão, conhece-se o défice do ano passado, temos o Orçamento aprovado e duas avaliações feitas pela ‘troika’. É importante que os nossos parceiros saibam disso.» Cavaco Silva