segunda-feira, maio 13, 2013

NEM DIVERGÊNCIAS NEM RUPTURAS

Bruxelas que ponha os olhinhos no seu cordeiro sacrificial português, onde não há divergências nem rupturas, só variações semânticas.

Sem comentários: