quarta-feira, junho 05, 2013

UMA QUESTÃO DE FARO

Ao faro do dinheiro fácil, do encaixe imediato, dos interesses privados, corre-se mais depressa que o sentido de preservação do nosso acervo artístico colectivo, como é o caso da pintura renascentista Virgem com o Menino, de Carlo Crivelli, tendo o Estado falhado a compra desta obra protegida e impedida de sair de Portugal. Se fosse possível, até a Torre de Belém, devidamente desclassificada, seria empandeirada para fora do País. Quem sabe um dia. Já estivemos mais longe.

1 comentário:

Floribundus disse...

um dia de Portugal restarão os portugueses
se ainda os houver