terça-feira, dezembro 02, 2014

UM PARTIDO PETRIFICADO E OBSOLETO

O XX Congresso Nacional do PS não o foi. Ao Fantasma terrível do Detrito 44 somou-se o Fantasma do Vazio e o Fantasma de quantas vozes foram postas em silêncio. Muita roupa ficou por lavar. A lama continua e continua a boa consciência falaciosa deste partido destroçado de egoísmo, cegueira e todas as metástases de egolatria semeadas no passado. 

Notoriamente, apesar de perpassado por alguma juventude emocionalóide e seus arrancos taurinos e entradas de leão, o PS não tem qualquer pensamento, não tem capacidade de auto-revisitação e de autocrítica, não tem qualquer espécie de autoridade. Passou uma péssima imagem de petrificação mental e amotinamento retórico, à maneira dos "Congressos" em Cuba e na Coreia, os quais, antes de acontecerem, já se sabe quem invectivarão, já se sabe a que conclusões chegarão e que ódios oficiais serão renovados, num imobilismo atroz que chega a ser mesmo doloroso. 

Definitivamente, este Partido não está pronto para o Século XXI. A travessia do deserto promete ser brutal para estes Militantes Fóssis, caso tenhamos Povo com memória, sentido de exigência e espírito crítico, com a intuição de que qualquer caminho sólido de melhoria de condições de vida e bem-estar se fará pelo lado difícil, exigente e duro; um Povo com a noção de que a herança destes socialistas foi um País depauperado e endividado, a braços com mais uma ingerência externa, dívidas contraídas nos anos da Festa Despesista a cobrar nos anos da mais Amarga Austeridade.