A MINHA INFECÇÃO URINÁRIA

Contraída sabe deus em que cagadeira pública ou por que circunstancialismo frígido-higiénico, fez-me sentir mais morto que vivo ao longo de quatro arrastados dias de mal-estar e dores excruciantes. Sofrer é bom. Aprende-se. Aprendi desde logo que deveria procurar médico à primeira oportunidade. Só o fiz ao quarto dia. Bastou o antibiótico da praxe. Percebi que não valho sinceramente nada. Sou lixo, sou pó. Um nada. Já nada. Nada em todo o lado e em todas as coisas, nada para todos, e, no entanto, adoro-me, acho-me o máximo, sinto-me genial cá a sós muito comigo porque o essencial, deixem-se de tretas, faz-se, sabe-se, sente-se a sós. Olho em volta os imbecis incapazes de ironia, de contradição, do sal de uma apóstrofe mais sarcástica, na sua vaidade asfixiante. Sinto-me marginal nesta merda safada da Bloga Nacional, a Grande Cona. E sou vincadamente tratado como marginal pelos impecáveis e os milhares que seguem os impecáveis. Tirando isso, é bom saber que há Deus, há a Família. E o Fado pode ainda servir de extrema unção. Simplesmente, não foi desta, foi só extrema bênção.

Comments

Anonymous said…
As infeções urinárias podem ser de origem nervosa, sabe, não sabe?
Pode mesmo ser porque, como diz, no mundo da bloga nacional ninguém lhe passa cartão, na estranja, é vedeta?
Há que dar valor (só) a quem o tem.
Farplex said…
Felizmente há marginais...;)
floribundus said…
desejo as melhoras e a pronta recuperação
em grande parte (aquela parte) os blogs e bloguistas são uma espécie de máfia ou maltesaria, como se dizia na minha aldeia. adulam-se ou insultam-se. são auto-suficientes na sua miséria intelectual.
barda merda