Reduto













Procuras-me. Eu sei.

Sei que não posso desiludir-te quando vens aqui.
Não é justo que dês com a cara na porta
fechada a qualquer nova postagem paisagem minha
onde te recreias e reencontras
no fogo da palavra que manuseio.

Sei que tenho de te dar também a justa ração de entranhas,
íntimo que te cative,
que te prendam aqui, e ajudar-te no que te der a dizer de cada post que faço
para que assim regresses a mais um copo de alga,
marulhado em maré amiga,
e rompas o silêncio
entre um silêncio e outro.

Entrar. Sair.

Sendo sair o teres metido nariz onde melhor visses
o que de melhor desejas
e se apossa de ti.

Pronto, eu paro com impessoalizações e duplicidades.
Interrompo a política que, se é nacional, fede,
mas o fedor reduplica se é internacional
por emanar de sob os escombros
quando nos desenterramos inteiros,
na indefesa criança esmagada
e estamos ainda confortáveis e vivos,
na inocente decapitada.

Bem sei, blogar é sempre indecente e narcísico, mesmo na solidariedade.
Mesmo na indignação.
Bem sei que a guerra já é este desastre natural, tsunami furacão tufão,
com que se limpa naturalmente o cu da terra deste dejecto da evolução
chamado Homem
precisamente na sua mais abjecta actualização.

Entra, entra sempre, tu que me procuras e que regressas e me exiges de novo.

Seja ódio, seja merda, é o que sai que sempre suja o por onde sai.


Joaquim Santos

Comments

poeta_silente said…
Joaquim!
Obrigada pela tua visita. Não havia descoberto este cantinho, ainda. Agradeço-te por me permitires aqui chegar. Quando somos brindados, por Deus, com o dom da palavra escrita, somos, automáticamente, impulsionados, quase que compulsivamente, a estar sempre criando, escrevendo, gritando nossas verdades e nossos sentimentos, através delas.
Voltarei, sempre.
Beijos
Visita meu outro Blog:
http://tratos-e-poesias.promopel.com.br
Lá verás algumas coisas a mais e serás bem-vindo
Miriam
joshua said…
Miriam, foi bom ter-te encontrado e saber que te move essa fé inteligente, paciente, tão simpática e acolhedora também.

Serei mais um seu visitador.

Beijos
Anonymous said…
Sim, sim, mas isto do cu é por ser domingo?
joshua said…
Não paciente anónimo. É porque há instituições internacionais que, de vendidas, vendadas e atadas, estão assim, de cu à mostra.
Anonymous said…
Mas esse é de mulher, não é?
joshua said…
Algum problema com o género?
joshua said…
Poema Por Que Tenhas Cu

Direi ainda
que no corpo tudo é bom.
Nada te repugne nele.
Assume-o e aceita-o,
olha-o nos olhos e compreende
que a pudicícia embaraçada
dos que te calam e contornam, cu, é apenas
e ainda a platonice de se pensarem
belas almas em trânsito nas tendas corpos.

(Evitarem-te, cu, serve de metáfora à hipocrisia e fatuidade de tudo em tufos).

Que erro.
Esta agregação de pó,
este parlamento de contradições
que é o corpo em unhas e dentes, em suor, em cu, é bom e é gente.

Gerado nas estrelas, do teu corpo
nada desaparece ou
se dissipa porque foi o espírito, antes de mais, que organizou a matéria e dizer matéria é mentira.

Não há matéria. Só há totalidade e mistério. Só há loucura e mais mistério ainda.

Não há entropia para o amor que acumulas,
para a memória da gente que amas, para o bem que queres.

O corpo foi o porque tudo começou.

O corpo!

(Se tens cu, comenta isto).
Roy Frenkiel said…
Sinceramente, ha dias como hoje que desejo viver entre os pequenos momentos vivenciados em que houve algo, nao sei se genuino, mas algo natural, sobrenatural, algo doce, algo bom, e destes momentos nao mais sair, por ali me enredar, forjar minha existencia e escondido nos reconditos das memorias, passear desapercebido entre apenas bons momentos...

Bla, amigo, sempre acompanhando e sempre adorando acompanhar vossas palavras.

Abrax

RF
nunocavaco said…
Bem, havia tanto para dizer mas, tanto já foi dito.
Um abraço
Anonymous said…
Consegui!!! Ou seja, vamos ver se consegui entrar. E que porta hoje me abriu!... Mas, sempre é uma porta...
Cumprimentos


Rafaela Plácido
joshua said…
Olá, Rafaela. Fico contente por me ter visitado. Sim, foi um pórtico, um acerto... inesperado. Mas é uma porta como outra qualquer, tem o lado jocoso, o lado prosaico, e tem também o provocatório.

Já me conhece. Faço da palavra um foguetório com estradalhaço, as minhas palavras-morteiros explodem no alto multicolores e faço por que haja Ah's e Oh's do pasmo possível, enquanto se descaem os queixos e a língua pende descaindo um pouco para trás.

É uma sorte que esta porta do post, estando aberta, estejana verdade fechada. Mesmo a arte, rompendo os limites, se impõe limites.

Provisórios.

Beijos

Joaquim
Night said…
Dizer que é merda aquilo que escreves é deveras duro, porque as palavras ate nem cheiram assim tão mal hehe agora mais a sério "podias ter arranjado um cuzito mais elegante de se apresentar, com imagens tão feias não sei se vou voltar a entrar :P um grande abraço
joshua said…
Temos, Night, de ser omnívoros em matéria de cus, pelo menos quando se trata somente de olhar para eles porque, tal como nós, são o que são e nem sequer são eles que fazem a merda. Nós é que a fazemos. O canal é inocente.

Quando me sento à mesa nunca sou esquisito: como de quanto depõem sobre ela (não idealizo o pão, nem o arroz de tomate, nem as feveras, como-os).

A comida não me entra na boca por eu lhe ter uma boca beijável, atraente. É outra a lógica a regê-la, à comida. O cu, penso, funciona do mesmo modo.

O cu de este post não traz um conteúdo estético, mas ético, e não gostei dessa analogia das minhas palavras à merda ehehehe.

No meu conceito, as minhas palavras são arte e são ouro que podem passar por tão irreconhecíveis na sua densidade estética, por tão pérolas a porcos, na capacidade holística da recepção (de quem as lê) as compreendê-las e valorizá-las que, sim, correm o risco de serem vistas como merda.

Mas não por mim, embora saiba que o ouro precioso, o valor artístico delas, ainda assim, é menos importante que, por exemplo, a nossa amizade.

(Obviamente que estou a brincar, dramatizando, ao dizer que não gostei que tivesses comentado, brincando, eu achar serem as minhas palavras merda).

Não gostei, mas 'na boa', ehehehe.

Abração!
Night said…
Uma das maiores dádivas que temos é saber rir de nós própios...
longe de mim dizer que as tuas palavras são merda, se o fossem não me dava ao trabalho de as comentar, mas expondo-as corremos o risco de serem consideradas como tal, Se Deus não agradou a todos, quem somos nós... por isso brinquei com a situação e com a imagem que escolheste para dar alguma cor as tuas palavras, ou fossem elas precisar disso.

Já algumas vezes falamos que ha pessoas que comentam sem sequer ler o que esta escrito, sem perceberem a mensagem que queriamos passar, secalhar o meu comentário de 7 linhas não foi o suficiente explicito e tu entendeste como bem quiseste.

Não deixes de sorrir mesmo que os teus olhos só queiram chorar.

Abração!
Momentos said…
Passei por aqui para agradecer a tua visita ao meu blog. Terei de voltar com mais tempo para poder apreciar...Realmente vim a tua procura... gostei das tuas palavras... acabaram por me cativar... por isso vou acabar por regressar para mais um copo e acabei por romper o silencio.Achas mesmo que blogar é sempre indecente e narcísico?Bom ... a única coisa que te posso "exigir" é que continues a escrever... e penso que as tuas palavras nao vão andar a "sujar" nada por aí, porque são fruto de criatividade, sensibilidade, humor...Até à próxima*
joshua said…
Olá, sucesso. Obrigado pelo teu comentário. Na verdade, não crendo que blogar seja sempre indecente e narcísico, se o escrevi foi justamente numa perspectiva provocatória pelo contraste gerado entre a comodidade e a liberdade que temos em postar (sobre a miséria, sobre a guerra, por exemplo) e muitas das realidades cruas por que passam pessoas concretas. A indecência, se estiver, está nesse contraste de mundos e de realidades.

Creio que blogar é altamente denso em matéria de expressão pessoal e de criatividade e poderemos avançar ainda mais se se pensar nos mecanismos mais avançados de exercício da cidadania planetária.

Por enquanto é só irreverência, liberdade de expressão, produção estética e informativa.

O que está por potenciar ainda é ficção científica.

Até breve!
Andreia said…
Bem, a imagem realmente é que tem tudo a ver.

Eu já te tinha visitado, não me lembro é se deixei algum comentário, se calhar estava se saída...

Assim de repente não estou a ver quem é o vitor monteiro... Talvez me ajudes.

Um abraço e aparece sempre!
Hebitsukai said…
Engraçada essa tua opinião sobre o mundo e o Homem...muito parecida com a minha...é um pouco a essência do meu blog em tempos mais idos!!

Obrigado pela tua visita!!
tb said…
Não sei se gostei mais do texto se de um comentário/resposta, o poema.
sei é que gosto das tuas palavras e do impacto que elas provocam. E também que o corpo é um todo que devemos gostar e respeitar como parte da natureza que nos envovolve. Ainda bem que aproveitas o dom com que foste bafejado...
Abraços
Goiaoia said…
Parabéns pelo Blógue.
Hei-de cá voltar com tempo e paciência.
joshua said…
Crateriana Fenda

Cratera de emissão.
Cratera de impacto.
Ver-te é abstrair e associar
defecção a lava
vibração a gás
incandescente,
vulcão
mama de mamilo
côncavo.

Vesúvio,
ânus italiano e
Etna, ânus siciliano:
na crosta terrestre,
ponto de escape,
fluida ou dura
circulação de magma.
joshua said…
Crateriana Fenda (2)

Cratera de emissão.
Cratera de impacto.

Ver-te é abstrair e associar
defecção a lava
vibração a gás
incandescente,
vulcão
mama de mamilo
côncavo
ou
objecto oblíquo
num contacto impacto
que rompe
entrando
deformando
em posse.

Vesúvio,
ânus italiano e
Etna, ânus siciliano:
na crosta terrestre,
ponto de escape,
fluida ou dura
circulação
de magmerda.
Anonymous said…
Oi, Joshua!
Quanto ao Blogar... fiquei a pensar... pensar... e cheguei à uma conclusão: - Se os escritores do passado tivessem acesso aos Blogs, com certeza as gráficas seriam em menor número atualmente. Porque muitos postariam suas criações e deixariam de publicá-las. Não todas, pois já vi um bom número de blogueiros inciiando-se na publicação de livros. Mas, que os livros teriam diminuído de volume, creio que sim.
Ambiguamente, temos mais escritores, pseudo-escritores e medíocres escritores pipocando aqui e ali, pelos Blogs da vida.
Beijos
Miriam
http://tratos-e-poesias.blogspot.com/
Anonymous said…
Me senti na Bienal Internacional de Arte de São Paulo.
Juro!

Com texto de curador e tudo.

Beijos.
poeta_silente said…
Oi, Joaquim
Quem sou eu para poder dimensionar a capacidade de pessoas? Se nem eu mesma saberia me definir dentro dos padrões, dos quais falei...
Gostei da tua pergunta.Demostra inteligência, perspicácia, aguçamento dos sentidos. Portanto, só posso te colocar dentro da categoria mais capacitada.
E te coloco dentro desta categoria, também por perceber, em TI, uma sabedoria que não vem deste mundo. Uma sabedoria que poucos tem.
Ah... mais uma coisa. É bíblico:
-"A boca fala daquilo que o coração está cheio".
O que pensas a este respeito?
Beijos ternos
Deus te abençoe e te guarde, sempre
Miriam
Anonymous said…
GOSTEI DO TEU BLOG QUINZINHO, NADA COMO REALMENTE CONSTACTAR QUE HÁ GENTE DOIDA OU DIFERENTE SE QUISERES. BEM HAJAM OS DOIDOS. BEIJITO DA MARCIANA
maresia_mar said…
Eu até não sou assim tão radical a julgar as coisas e o homem, dou-lhes sempre o beneficio da dúvida.. o meu lado optimista quer-me fazer acreditar que ainda há gente válida e que viver vale a pena... Eu todos os dias acordo e o meu 1º pensamento é agradecer por estar viva.
resto de boa semana
caninos said…
This comment has been removed by a blog administrator.
caninos said…
This comment has been removed by a blog administrator.
naturalissima said…
Olá Joaquim!

Tu achaste-me e pela tua mão vim até aqui!
Não me desiludiste, pelo contrário surpreendeste-me pela positiva!
Escreves MUITO BEM e trasmites de forma simples sentimentos, pensamentos, analises, criticas, e muito mais,... o que muitos de nós não somos capazes e/ou não temos coragem de o dizer!
Que bom teres passado por mim, teres me convidado para te conhecer.
Agora, com mais tempo vou procurar ler TUDO o que aqui já editaste.
Gsotei muito...
Até logo
um beijo
Daniela
Joker said…
Olá Joaquim...

Gostei de te ver lá no meu espaço...deste-me a conhecer o teu...

E que bonita descoberta!
A forma como manuseias as palavras é fascinante, começando pela apresentação do blog...

"Porque as palavras me são luz e instrumento explicitador de amor e inconformismo, de dor e de prazer"

Lindo!

Beijos encantados para ti!
naturalissima said…
Pois é somos "peixes"! Eu sou de 3/3/71.
Foi um enorme prazer conhecer-te! Vou te lendo aos bocados... para saborear melhor o que escreves.
Uma das coisas que tenho pena, é de não saber escrever! Acabo por transmitir de outras formas o que me vai na alma.
Até breve
Beijos
Daniela
jhhgjh said…
Perfeita poesia!

Dúvidas???

Acesse http://www.umdiadavida.blogspot.com/ e leia as histórias de Willy Caolho & Jack, que já viraram mania nacional.
Vitor Monteiro said…
Grande Quim...Obviamente que como tema de conversa o Cú isto leva a que se começe a cheirar um pouco mal por isso vou deixar a parte da Merda para o final visto ser sempre dessa forma que as conversas normalmente terminam...ihihihi primeiro fiquei surpreendido pela maneira inteligente com que escreveste est post, está fantástico, os m,eus parabens segundo fiquei realmente impressionado com a quantidade de comentários que tens tido no teu blog que significam por um lado bas tante afluência e por outro sinald eque as pessoas estão a gostar mas daí até chegares a conversas de merda..pelo amor de Deus Quim....ihihihih meu carissimo amigão é sinal de que todos estão a partilhar a minha opinião de que escreves muitissimo bem...por isso queim apartr de amanha com as nossas sociedades no Euromilhões vaos conseguir arrecadar muitos prémios par apoder editar um livro cheio de poemas maravilhosamente escritos por ti...certo??
E agora sim para acabar na merda este meu comentário deixa-me dizer-te estimado quim que já estáa cheirar muito mal isto por isso antes de desmaiar...

Aquele Abraço
Teresa Durães said…
(não li todos os comentários...)

mas gostei do que li escrito por ti!

Voltarei
* said…
bem assim sendo, assumida a cumplicidade, obrigada, se mereceres
Fran Rebelatto said…
Nossa...entrei, sai, voltei, e permanecerei, embriagada pelas tuas palavras, pelo jogo de poesia, do nada...Fantástico, me conquistou..beijos
Anonymous said…
Olá, O que é feito de si?
Julguei que tão cedo não o ia encontrar. São os azares do meu computador que me levam os endereços todos... Até que o acaso me lançou na seu peugada, hoje quando viajava por aqui.
Inclusivamente, em Agosto tentei enviar-lhe um convite para o lançamento, no Brasil, do meu pequeno Cãodómino.

Paciência. Mas, aqui estou eu outra vez e no Jn também, na bloguice.
Um grande beijo

Rafaela
joshua said…
Magnífica Rafaela, quanta saudade! Seja bem-vinda e mostre-me também o caminho, que lá irei pela certa.

Outro grande beijo
Anonymous said…
O caminho para o Brasil?!... Ó Joshua, eu de Pêdra Álvares Cabral não tenho nada, nem sequer de Vasca da Gama... E para o JN é só ir aos blogues e criar um como o meu, que sou laranjalima e acho que o Joshua faz lá muita falta porque andam lá dois ou três tansos que é uma vergonha.
Quanto a caminhos na informática, continuo uma perfeita nabiça.
rplacido@portugalmail.pt diz-lhe alguma coisa?!...

Mais um beijo, o último da noite

Rafaela

Popular Posts