segunda-feira, dezembro 11, 2006

OLIGARCAS DA FACA














Não sei que champagne celebre a morte
do mal que está feito,
não percebo que foguetes,
que pinotes
por um Pinochet
defunto.

A tirania apodrecia já,
quando os tubarões engordavam
de humanos corpos,
torturados,
a ditadura tinha já problemas coronários,
crueldade e obstinação
raticida, fungicida: «muerte al rojo!».

Por eles, pelos fuzilados,
por aqueles a quem se deu sumiço,
a quem se arrancou olhos e unhas,
a quem se roubou família e vida,
num negro Chile,

siberiano,

imundo,

que nos fique claro e definitivo
que justiça cabal
não é coisa deste mundo.

Joaquim Santos

Sem comentários: