quinta-feira, agosto 16, 2007

A MORTE VISTA DE FORA


É como o espectáculo dolente
de haver sol a pique, poente,
ou rotundo luar baixo no horizonte, rubro, térmico,
sem que se seja luar ou sol.
çlk
Se nos for dado ser...
Quando formos esse sol ou esse luar, ascendente, depoente,
paladaremos o sabor do esplendor ao esplender.
ç~k
Aí, no justo cerne de se ser luz,
satélites de nós, extensões internas da Beleza,
veremos por dentro a contiguidade
que aparentava ruptura e incerteza.

Sem comentários: