terça-feira, junho 19, 2007

AS PUTAS BARRABÁS


Já toda a gente sabe,
não será novidade para ninguém,
haver em certas mulheres novas-quase-velhas uma tendência
para a monstruosidade profissional
na proporção exacta em que passaram a desconhecer
a delícia de um orgasmo por sistemática desabituação
e entorpecimento gradual da erogenia corpórea,
tão negligenciadas como fêmeas puras se tornaram,
indignas de tesão autoconsideradas.
E quando as partes calam e o clítoris já não grita,
quando aquelas mamas não mais se vêem devastadas por mãos firmes e resolutas,
cresce-lhes simplesmente, como erva daninha compensatória, a língua.
çlk
Por isso mesmo, as salas de professores,
as unidades de produção,
os bares das faculdades,
as sacristias,
as secções do partido,
os corredores da DREN,
os corredores sindicais,
todos os sectores onde três ou mais fêmeas
se reunem para algo semelhante a trabalhar,
além de ser o Diabo a penetrar no meio delas e não outra entidade benfazeja,
todos esses locais estão por vezes cheias de novas-quase-velhas putas
frias e desconsoladas
com o verbo afiado maledicente e o radar controleiro e cruel aceso.
São elas as mais exímias na murmuração danante.
São elas as que mais se excedem
na construção de uma opinião isoladora, denegridora, de alguém alternadamente alvo,
conforme os fígados delas,
procurando enredar na teia de uma doxa local tóxica
sobretudo os que têm como mandamento essencial nas suas vidas
cagar largamente para o que pensem novas-quase-velhas putas desconsoladas
e beber suficiente consolo da vida todos os dias, mas todos os dias!
Ei-las agarradas hiena ao osso da inerme cria gazela.
Ei-as coyote insistindo em fazer presa sua o fatigado roedor encurralado.
lkj
Barrabás era, ao que parece, um homem, e salteador, quando solto.
Mas, se tivesse sido mulher,
teria certamente uma língua capaz de levantar
um zelota exército apaixonado contra Roma.
E vencer.
çlk
As mulheres dizem de si mesmas mulheres serem a pior e mais impiedosa peste
à face da terra, gente que alega boas razões na hora de liquidar alguém.
Não seria eu a pôr em causa tal comprovada opinião generalizada.
Só lamento que a falta de consolo no corpo
transforme este tipo de fêmeas em severinos guardas-prisionais impiedosos.

4 comentários:

antonio ganhão disse...

A besta 778 soltou-te a inspiração!

As mulheres conseguem ser mais implacáveis que os homens: instinto de sobrevivência numa sociedade machista! Dalguma forma tb somos culpados.

Paulo disse...

Desassossegos libidianos...
Já tive que "arrancar" algumas "ervas daninhas". Elas pagaram, claro!!!
Devo dizer que não curti esse putedo mas...cumpri o dever civico de dar "prazer" e não perdi o folgo dos 26 anos nem a firme desenvoltura fisica do ginasio.
Sorry
Abraço
Paulo

Osc@r Luiz disse...

Cara!
Muito bom!
Muito bom mesmo o seu blog!
Agora preciso trabalhar, mas à noite, quando retornar vou ler com mais calma, e provavelmente, vou colocar um link para o seu blog nos dois que tenho!
Gostei muito do que eu vi!
Um abraço e obrigado pela sua visita!

antonio ganhão disse...

Paulo, não o percebi... se o levo à letra, até me arrepio!