quinta-feira, abril 14, 2011

CALÇAS NA MÃO E BURACOS NELAS

«... vem um e diz que não há problemas com o pagamento de salários ao exército, depois outro que diz às polícias para não se preocuparem porque o governo já resolveu a situação, e depois outra, que diz que não nos devemos afligir porque não vão faltar medicamentos nos hospitais. Chegámos à altura em que para se tapar um buraco se abrem dez por aí. É uma espécie de espiral de buracos que está a crescer exponencialmente em frequência e valor.» Anónimo

1 comentário:

Daniel Santos disse...

sem duvida.