domingo, abril 17, 2011

O EMPATE DOS EMPATAS

Estará o resgate de Portugal nas mãos dos finlandeses conforme o que resulte das eleições de hoje? É possível. Se as nossas sondagens são de enlouquecer, dado que ainda não punem nem rejeitam os responsáveis directos pela Bancarrota, as deles provam que a viragem à direita é mais que certa com o partido os Verdadeiros Finlandeses a poder quadruplicar o seu número de deputados e depois contribuir para entalar a chamada solidariedade europeia que hoje o não é de todo, furando a unanimidade necessária ao resgate a Portugal. Toda esta complexidade nova e estranha imprevisibilidade é um convite ao desprezo português pela UE. O cidadão crédulo e distraído, que confia o seu destino a falsários, pagará em dobro porque, por um lado, verá o Estado Português sob vexame continuado com o dedo dos outros estados apontado e, por outro, ver-se-á empobrecer sem apelo nem agravo. A nossa resposta eleitoral deveria tão clarificadora como a dos islandeses, reforçando o PCP, o CDS-PP e o PSD, e punindo exemplarmente o cúmplice BE e o fascizado e fascizante PS. Corre o rumor de que a nossa resposta eleitoral não será clarificadora, empatando Portugal e empatando os partidos empatas, culpados da devastação clientelar e culpados da incúria, sobretudo o PS, mas também o PSD. A quem interessa esse rumor?

1 comentário:

Anónimo disse...

Eh pá!, estou mesmo contente com esta adesão à União Europeia! Vejamos: em escassos 25 anos, as nossas pescas e conserveiras desapareceram; as fábricas têxteis e de sapatos fecharam; a nossa agricultura é inexistente; a nossa indústria é o que se sabe; o desemprego, enfim, passou de 5% para 11%. Mas não faz mal, viva Bruxelas! Vivam os nossos amigos Sarkozy, Merkell e quejandos, que quando precisamos deles estão sempre prontos a dar-nos uma mãozinha! Quanto mais não seja para nos empurrarem para o fundo do poço. Metem-me nojo, eles e os seus lacaios portugueses. Bah!