sábado, janeiro 26, 2008

DEIXAR ALOURAR EM LUME BRANDO E JUNTAR CARALHO E LOURO


Não concordo nada contigo.
Pode não ser por orgulho mefistofelicamente-induzido-em-Fausto
que se prolongam artificialmente vidas claudicantes ou em falência,
mas por um imperativo que nos é congénito:
viver mais, aprender a viver mais, melhorar o viver mais,
compreender melhor o por que se morre.
lkj
Se toda a técnica de ressuscitação e conservação de toda a vida precária,
continuamente aperfeiçoada, é uma tendência exercida de forma sádica para com alguns,
há-de ser também justamente exercida de forma vital para com outros
e o critério geral norteador deverá ser o Vital
e não o Mórbido por negligência eticamente fundamentada,
que é um perfeito absurdo pelo descontrolo e arbitrariedade que faz pressupor.
lkj
Agora, o que me parece grave é a Morte-em-Vida dos Orgulhosos
e dos que têm Pose de Mais e Posição Social e Status Social de Mais na Vida:
Advogados, Certos Professores Com Pés de Barro Incrustados na Carreira,
Docentes Universitários, afinal Mortais, como todos os outros,
mas que se habituam a uma forma de infravida:
sonegam-se as emoções,
odeiam as lamechices, mas no fundo traem a dimensão autêntica de si mesmos
como Seres Humanos que se desfazem em Merda em certas alturas intestinalmente desfavoráveis. Não choram em público.
Não peidam distraidamente em público sem enrubescer de pudor,
pela buzina do peido e pelo respectivo fedor,
não beijam em público:
são um esfíncter esfíngico de hiperCONTROLO de si-mesmos.
lkj
Vão para o caralho! Se os pusermos a cagar Leis
e a cagar Avaliações de Desempenho,
em pouco tempo transformam-se nos Drs. Mengele das sociedades modernas,
experimentalistas geradores de triagens e torturas,
despoletando a revolta geral, a inveja geral,
a insatisfação geral e geradores precisamente do próprio pesadelo de violência
que a todos há-de (ou pode!) reflexa e consequentemente tragar,
como já aconteceu no passado, lição desaprendida.
lkj
Até o seu Catolicismo é Pose, é uma marca-Bem,
um ferrete Social-Bem e sem mais fundura
que a crosta Social Privilegiada que a enquadra de Chique,
cheia de A-Condizer Catolicismo com muito Ismo dentro.

11 comentários:

Manuel Rocha disse...

Agradam-me os discursos de ruptura, os desvios conscientes dessa procura sistemática de consensos que tendem sempre a constituir-se como menores denominadores comuns às certezas do seu tempo. É de lá que se bebem outras maneiras de ver para lá do olhar, e só assim se chega ( eventualmente ) um pouco mais além.

Por isso gosto dos seus textos. Já dos do Desidério, não !...::)))

Anónimo disse...

Pela primeira vez comento o seu blogue, por duas razões simples.
Os seus comentários em outros blogues, bem como os seus textos são o espelho perfeito de um ser em conflito, com uma mente totalmente em colapso e a necessitar de um profundo tratamento. Procure ajuda, por si e por quem tem de conviver consigo, seja na blogsfera ou na vida real. Usa uma linguagem sem coerência alguma e que revela uma formação de baixo nível pelo tipo de palavras com que recheia os seus textos.
Resumindo e como já lhe disse procure ajuda, ainda está muito a tempo de normalizar esse caos em que vive no seu interior.
Para finalizar, gostaria de ver retirado da lista dos seus links o Kolmi, não me identifico com blogues como o seu, onde impera a falta de educação na linguagem e a arte de maldizer.
Carpe Diem...

antonio ganhão disse...

Mortal. O Josh no seu melhor, que é como quem diz no seu pior.

Tu não arrancas as máscaras que presumes ver nos outros, tu esfolas o outro vivo.

Tens arte e talento para o fazer, mas isso dói. A verdade, mesmo que nossa, assim de contaminada, não deixa de ser a nossa verdade. A mesmo essa verdade magoa, por vezes sem necessidade.

amigona avó e a neta princesa disse...

Joshua, li o teu comentário no notas e porque não entendi, de todo, a tua agressividade vim até aqui para desabafar...encontro o mesmo texto mas aqui o espaço é teu...entendo que podes fazer dele o que tu quiseres...não percebo porque identificas advogados e professores...mas, acredito, que o problema deve ser meu...hoje não estou nos meus dias...

amigona avó e a neta princesa disse...

E desculpa o meu desabafo...não estou, de facto, nos meus dias! Bom fim-de-semana...

Mary disse...

Pum! Morri. Vou embora.

quintarantino disse...

Joshua Fellini, desculpa mas eu vou levar este texto numa linha mais abstracta e fazer de conta que não entendi bem uma ou outra coisa.
Um ataque generalizado a advogados, professores, docentes e universitários vá que não vá, agora bem sabes que eu leio e me lembro da Blonde ... e assim não pode ser... discordares dela é uma coisa, mas desta forma assaz violenta?
O espaço é teu e tu aqui fazes e escreves o que queres, mas Joshua... havia necessidade?

joshua disse...

Tarantino, tu bem sabes que gosto dela, que lhe quero bem e a respeito, mas ultimamente parece-me arredia, quase despreziva, atirando-me para o canto das blogo-relíquias.

Eu vou lá e esparramo-me em confidências com o intuito de a consolar da Perda... E ela já não se 'esparrama' como amiga... E reduz o que lhe confidencio ao pequeno pormenor.

Posso ter os meus traumas com loiras, nem isso lho escondo, mas fico triste com certas impressões de atitudes desinvestidoras de mim que vou incubando.

Depois a divergência de opiniões serve de pretexto para me exceder.

Mas eu sei, é verdade... não havia necessidade. Não com ela. Louvo imenso a tua voz moderadora. Ela que me desculpe, se souber.

Blondewithaphd disse...

Espero-te.

Tiago R Cardoso disse...

Estive dois dias para decidir se comentava ou não o que aqui escrevestes, decidi ficar por um, li só o titulo e pela primeira vez em tantos meses não li nem um frase do resto do texto...

Patrícia Grade disse...

Joshua,
Como estamos de confidências, aproveito para aqui expor uma minha - dizia no outro dia ao Antonio que achava que escrevias apenas num sentido, com um unico intuito e que por algumas razões isso não me interessava. Não que não fossem interessantes os teus textos, apenas que não o eram para mim, como porventura não o serão os meus para muita gente... enfum, avancemos.
Porém, há uma coisa que tenho de te dizer, nos ultimos dias tenho visto uma parte dos teus textos que me atraem. Acho que deve ser precisamente aquilo que a sniqper não gostou - o nonsense, a falta de coerência muitas vezes. Não acho nada que o nível da escrita seja baixo, o incoerente é que me atrai. É como se olhasse uma obra de Dali em que nada é o que parece. Já devem ter percebido por esta altura que adoro Dali. Eu adoro tudo o que está para além do óbvio e a tua escrita (apesar de detestar catalogações) está muito nesse nível, para lá do evidente.
Posso não concordar com o manuel em muita coisa, mas neste momento concordo com ele a 100% - na ruptura se encontram os consensos, os denominadores comuns... Sem medo de ir contra a opinião geral, sem medo de contrapor a nossa ideia à de todos os outros. É deste confronto que saem as melhores ideias. Conto voltar mais vezes, só para olhar para as pinceladas surrealistas e intensamente belas com que me presenteias volta e meia.