quarta-feira, dezembro 12, 2007

AO CHEIRO DESSE DINHEIRO A ÉTICA O DESPOVOA


Sá de Miranda, criticando a política ultramarina
por despovoar o Reino, na famosa quintilha:
lkj
Não me temo de Castela
donde inda guerra não soa;
mas temo-me de Lisboa,
que, ao cheiro desta canela,
o Reino nos despovoa.
lkj
Navegando, navegando sempre,
começamos a entender melhor de onde vem a linguagem
imoderada e insultuosa do peneirento Dótôr Júdice
(autor do célebre «Eu já escrevi sobre isso!»
e agressor inveterado pró-governamental na Imprensa escrita)
relativamente ao antigo e ao novo bastonário da Ordem.
lkj
Numa ou duas postas com a qualidade do costume,
compreendemos cristalinamente que agredir assim representa somente
uma fuga em frente de esta e mais esta complementar verdade consumada.

Sem comentários: