domingo, dezembro 30, 2007

COLETE-DE-FORÇAS ULTRA-INFORMÁTICO


Ainda bem que o anonimato se vai extinguindo em matéria de Internet!
Que coisa claustrofobizante é que o anonimato se vá extinguindo em matéria de Internet!
lkj
Temos de pensar mais vezes no efeito perverso da sofisticação informática
no que ao desmedido controlo e contabilização-de-actos-nossos ela representa,
muito para além da questão da 'Segurança' e do 'Interesse de Estado'.
lkj
Quando faço Pagamento de Serviços e introduzo o meu NIF,
quando sigo pelos Centros Comerciais e me sinto monitorizado pelas infinitas câmeras,
quando faço compras e as pago pelo Multibanco,
mas também quando singelamente preencho e registo um Boletim do EuroMilhões,
tudo é sujeito a controlo, em tudo deixámos uma impressão identificadora.
lkj
No caso do EuroMilhões, e porque não sou estúpido,
trato o quadro 1-50 como um Território e, por isso mesmo,
escolho os números numa perspectiva mais Espacial, mais Táctica e nada à toa:
em última análise, os números são lugares conceptuais
e é assim que eu os trato sempre.
Ora, o efeito de uma abordagem como a minha, posso prová-lo!,
é a devastadora demonstração do controlo total e absoluto
que poderosíssimas máquinas exercem mesmo sobre o Antigo Aleatório Puro,
hoje, embora muitos o não creiam ou não queiram crer,
Completa e Convenientemente Extinto nas Sociedades Informatizadas.
lkj
Entre o Jogo e o Trabalho, devemos escolher o Trabalho, sem hesitar.
Mas entre a Manipulação e a Transparência, devemos escolher a Transparência,
mesmo que os únicos a exigi-la presentemente sejam 'dementes', 'loucos',
pessoas com 'pouca credibilidade' e 'nulo peso mediático',
ou não fosse hoje possível fazer de um Acabado Pulha um Acabado-Querido-Líder
de que toda a Europa, no fundo, se ri, El-País-ironiza, EU-Magazine-sarcasmiza,
mas que nós temos de engolir naturalmente,
como uma Água Inquinada só maravilhosa
porque bem promovida no plano mediático.
lkj
Sei que nada escapa ao escrutínio de essas SuperMáquinas
e se não fora o facto de todos vivermos alienados
e submissos a que tudo-é-como-é-porque-tem-de-ser-assim,
numa entrega confiante à solidez das instituições, à sua Pureza de Princípios,
ao seu Zelo pela Verdade, pela Imparcialidade e pela Equidistância;
se não fora o facto de os que dominam e chefiam essas Instituições
terem a justa noção de como se Domam e Cloroformizam as Massas-Aflitas,
e há muito que nos teríamos instituído como escrutinadores intolerantes
do Excesso de Escutínio de que somos alvo.
lkj
E talvez não falte muito para isso.

Sem comentários: