terça-feira, julho 05, 2011

O ESPLENDOR DO UNIVERSO

«Como é possível que nenhuma das grandes religiões tenha olhado para a ciência e concluído: «Isto é melhor do que pensávamos! O universo é muito mais vasto, mas misterioso, elegante e magnífico do que os nossos profetas disseram»? Em vez disso, dizem: «Não, não, não! O meu deus é um deus pequeno e eu quero que continue assim.» Uma religião, velha ou nova, que realçasse o esplendor do universo tal como ele nos é revelado pela ciência moderna, estaria em condições de mobilizar reservas de reverência e de espanto dificilmente suscitadas pelos credos convencionais.» Carl Sagan, Cosmos (p. 37)

3 comentários:

floribundus disse...

o big-bang,bangue-bangue ou gange-gangue, também creacionista

muita gente confunde teorias com relidade

diria aos teóricos do universo
'ó jagodes,
vê lá se te ...'

Anónimo disse...

Vá 'dizer' isso, meu caro Joaquim (já está aqui a dizê-lo), àqueles padres sebentos de paróquia interior (e mesmo urbana...) que tratam o rebanho como coisa sua e apenas como pretexto para beber uns copos de vinho e emitir uns arrotos a ensopado de cabrito - enquanto têm ainda frases medievais acerca da vida quotidiana, que lhes passa completamente ao lado. Ou aos rabinos que nos colonatos, em Gaza ou em zonas desérticas falam fanaticamente em "Povo Eleito" - não dando saída a ninguém ou a coisa alguma. Ou aos 'mullahs' que regurgitam versículos primitivos e pobres, castigando a mulher, submetendo o jovem e incitando à violência mais assassina e criminosa - prometendo paraísos e virgens para todos. Ou mesmo a Saramago, lá no Céu dos Comunistas, que das Sagradas Escrituras (somente e convenientemente as judaico-cristãs...) tem uma visão ainda mais básica e imbecil que a de um programa da tarde para reformados - numa das têvês que prestam esse inestimável serviço. Saramago ainda 'tem a agravante' do seu tosco discurso na Academia, maldizendo expedições a Marte, investigação científica, progresso tecnológico que a TODOS BENEFICIA, etc, etc. Enfim, uns adiantados mentais.
Melhor seria que toda esta maltinha tivesse lido umas coisitas sobre Giordano Bruno, Roger Bacon ou Mendel.

Ass.: Besta Imunda

Anónimo disse...

«The urge to find out what truth is, what God is, is the only real urge, and all other urges are subsidiary. When you throw a stone into still water, it makes expanding circles. The expanding circles are the subsidiary movements, the social reactions, but the real movement is at the centre, which is the movement to find happiness, God, truth.»
(Jiddu Krishnamurti)

E eu, humildemente, acrescentaria, é irrelevante que esta pesquisa se faça através da religião, da ciência, do sexo, da meditação, do trabalho, da arte, do amor, do dinheiro ... vai tudo ter ao mesmo: estamos todos à procura do mesmo.
Não vale a pena pôr em contraposição a religião e a ciência porque elas são apenas "expanding circles", mais ou menos marcantes, mais ou menos certeiros e ambos incapazes de dar respostas, finitos e limitados, porque ambos criados, interpretados e praticados por homens.

Virginia