quinta-feira, julho 07, 2011

UMA CAUSA INTEIRAMENTE NOVA

Não poderemos expor, denunciar e vencer as agências de rating, levando-as ao tapete, como vencemos os indonésios por amor dos timorenses? Com a mesma mobilização e a mesma tenacidade?

6 comentários:

floribundus disse...

EUA falido vs Europa falida
dolar vs euro
a referência deve ser do ouro

Eduardo Miguel Pereira disse...

Talvez, desde que me prometam que para o efeito não tenha de levar diariamente com os gritos estridentes da Dra. Ana Gomes, como foi no caso de Timor.

joshua disse...

LOL, Eduardo! Inteiramente de acordo.

Anónimo disse...

Por falar em 'dótouras', causas inteiramente novas e 'justiça': lê-se hoje num cantinho do Correio da Manhã que Cândida Almeida "vai investigar os arrendamentos, pelo governo anterior, de edifícios para funcionamento de tribunais; e respectivos contratos". Parece não haver caso que estas queridas não 'investiguem'; mas os resultados tardam ou sepultam-se nas estantes "Andy" - em caves. Já ontem também M.J. Morgado falou no "Estádio de Sítio" (lá para anagramas e nomezinhos temos nós habilidade...) peranto o Procurador, e chefias da PSP, que "O futebol em Portugal existia à márgem do sistema de justiça - impune". Tudo isto é verdade e merece ser investigado; e depois levado à barra dos tribunais; e depois ter desfecho com condenações ou, pelo menos, conclusões em tempo útil. Mas não. Processos são constantemente abertos às dezenas (até conforme o calendário político) de forma autónoma e quase 'privada' por estas cândidas, sem que nenhum alguma vez chegue a bom porto. Pinto Monteiro declara-se impotente - usando malinha, tiara e um chapelinho dos anos 50. Também a familiaridade doméstica das procuradoras umas com as outras é estranhamente exibido nas têvês, sem pudor institucional, como aconteceu à procuradora-carla que se deitou com um perito/testemunha do caso submarinos-ferrostal. O MP está inoperante e, de coio de politiquice, passou também a clube-de-bairro onde se realiza o concurso da costureirinha. Por mais quadrado, lorpa, campónio e primitivo que o sistema de justiça americano seja (mesmo em NY) ele tem prazos para resolver matérias, casos, acusações; veja-se o caso DSK: o Procurador de Nova Yorque tem de prestar contas ao contribuinte e de decidir 'se vale a pena ir por aqui ou por ali'; e responder perante eleitores a quem interessa - SEM IDIOLOGIA - a segurança e o combate ao crime. Com resultados palpáveis e visíveis. Cá as procuradoras 'abrem mais um processo' ou 'investigam mais um caso'...Papel, mais papel, mais papel. Dr. Passos Coelho, Srª Ministra da Justiça, façam alguma coisa depressa! Decapitem Pinto Monteiro, ignorem as eventuais pressões do PR, demonstrem controlo, direcção, rumo e que algo vai mesmo mudar!!!

Ass.: Besta Imunda

Anónimo disse...

Obrigado Joshua. 'AO' à parte, e por ser professor, você é para mim um marco geodésico da ortografia.

Ass.: Besta Imunda

joshua disse...

Caríssimo, esta é a sua casa!