sábado, julho 02, 2011

PIORES DIAS VIRÃO

Toda a gente está encurralada e à mercê de certas medidas sobre os seus próprios magros rendimentos típicos de quem não tem por onde fugir. À conta desse ataque fácil aos fracos e inocentes, piores dias virão. Todos estão à mercê, excepto os que engordaram por décadas de má gestão pública, beneficiando de subsídios e apoios ao mais alto nível e também aqueles que, pelos manhosos rendimentos mínimos que auferem injustamente, só podem fazer inveja aos que realmente trabalham e sofrem para, pelo menos, providenciar comida e vestuário a si e aos seus. Por isso, bem pode o Presidente da República considerar que a contribuição extraordinária em sede de IRS anunciada pelo Governo equivale a Portugal cumprir rigorosamente os seus compromissos internacionais, que o certo é haver ainda muito a fazer para estabelecer um princípio de Justiça numa sociedade grosseiramente injusta, distorcida, partida. A pobreza é o nosso horizonte realista, enquanto trabalhar for tão penalizador nos plano fiscal e no do rendimento disponível. E cada vez é mais. Ou nos submentemos e nos subnutrimos. Ou emigramos. Não podemos ser sobretudo ou mesmo exclusivamente nós a pagar. Paguem os donos dos ferraris filhos do abate industrial e da prostituição especulativa! Paguem os palhaços que hoje estão ainda ricos de uma riqueza obscena e criminosa que nunca pariu sequer palito quanto mais um alfinete!

2 comentários:

Contra.facção disse...

Agora gostei!
Falta por os nomes nos bois, ou nos boys (nem sempre do partido do governo), até porque os que muiiiito ganham sem produzirem palitos (quem sabe?), nem alfinetes, como tudo que ganham não é salário (são benesses), talvez não descontem grande coisa no Natal, ao contrário dos que fazem os palitos e os alfinetes.
Coragem era dar umas alfinetadas em todos os os economicamente obesos, que andam nos media a dizer que acham muito boa a medida! Enquanto continuar o critério de bater no fraco, tudo na mesma e tem nome: Covardia!

HRoque disse...

Estimado,
Este seu "post" e absolutamente delicioso. Como escrito acima, covardia, porque disso se trata, Passos Coelho é politicamente COVARDE. E não menos mentiroso. Como o foi esse "cara linda" Socras.
Mentes brilhantes, CEOs (e terras também...) de topo, patriotas, corajosos... O indicador de coragem é proporcioanl ao número de despedimentos, fome e miséria causada em cada medida "patriótica". Curiosamente indissociável a umas certas "tendências de mercado": valorizar uma empresa em bolsa? Simples: despedir 12 mil funcionários.
Só mesmo de CEOs geniais (tipo aquele português lá para os lados da banca de Londres...).
O Povo, esse, continua em coma induzido. Até quando meu Deus???