segunda-feira, março 17, 2008

PELA TARDE, UMA ALEGRIA SUSPEITOSA


Ele [Agamémnon] disse, e cortou a goela dos anhos
com o bronze impiedoso.
Pousou-os por terra ainda palpitantes, privados de vida:
o bronze suprimira-lhes o ardor vital.
Em seguida, colhendo o vinho na cratera com as taças,
eles fizeram as libações, e oraram aos deuses eternos.
lkj
E eis o que repetia cada um dos Aqueus e dos Troianos:
- Zeus, muito glorioso, muito grande, e outros imortais,
espalhem-se no chão como este vinho os miolos dos primeiros,
de um ou de outro partido, que, perjurando, causarem dano,
os deles e os dos seus filhos, e unam-se as suas mulheres com estranhos.
lkj
A Ilíada, Canto III
lkj
A tarde caía plácida.
Haviam resolvido ambos que os três planassem juntos pelo asfalto litoral,
naquele fim de dia. Ser muito pobre desembaraça uma sede de contemplação infinita
e exige que se supra uma fome de serenidade maior que quaisquer ânsias.
E eram uma família de três, aspirando a isso e, serenos, ao ar marinho odoroso
e àquela luz entre nuvens de um cinza rematado a ouro sobre o esverdeado mar.
kjj
A pequenita saltitante nos seus gritinhos cheios de Ruca e Noddy.
Silente, o casal suspenso do vaticínio da urina
espraiando o olhar quase súplice pelo azul mudo.
kjh
À beira-mar, se os trepassem,
veriam outros casais por detrás dos monumentais rochedos daquela praia
em amplexos erectos, com contexto, tranquilidade e natureza,
sorrindo muito sob a música do bramido marinho e a sedosa marinha brisa.
Mais adiante, dois pescadores, pés fincados na aquosa areia, entre as rochas,
seguravam as suas longas canas a prumo e vagamente tinham bigode.
lkj
O rasgão de ouro parecia uma eternidade prometida no fundo horizonte.
No céu a pique, um capricho de nuvens formara uma gigantesca forma humana alada,
um Anjo diáfano cujas asas e cujo manto, feitos de nimbos estratos,
pareciam ondular numa expressão de movimento para noroeste naquele azul intenso,
veloz e no entanto estática, como as pinturas antigas.
O céu esculpe deliberado o que aleatório vemos exacto.
kjh
Tinham comprado o teste de gravidez.
Algumas suspeitas e nenhumas certezas conduzira-os finalmente a uma Farmácia.
E depois o passeio decorrera sob o silêncio das suspeitas e a ausência das certezas.
Mais tarde, só em casa, saberiam se, de três, passariam a quatro.
O breu por fim impôs-se. E os três, envoltos de uma angústia de amor denso e feliz,
manto aveludado de não terem nada; possibilidade mágica de serem mais um,
regressaram silenciosos a casa.
Dos três, dois logo saberiam.

7 comentários:

Ilaine disse...

Oi, Joshua!

Obrigada por me visitar lá no baú. Obrigada pelas palavras carinhosas. Vou anexar o seu blog aos meus favoritos. Ok?

Olhe, ando por aqui. SEu blog é muito especial. Vou aparecer sempre. Agora vou lendo suas postagens....
Abraços
Ilaine

SILÊNCIO CULPADO disse...

Joshua
A felicidade de se poder ter mais um descendente não pode ser descurada mesmo com as dificuldades dos tempos que correm.
Um beijinho

Pata Negra disse...

Enche-te mundo, desduvida-nos, engravida-nos, fecunda-nos, que fiques só com crianças que de adultos já estás cheio!
Devia era estar calado, é só para te dar os parabéns - pelo texto certo, pela vida em verso e pelo caso se for certo!
Um abraço proCriador

MIS COSAS disse...

Hola
Gracias por tus palabras, pero solo soy un principiante, con mucho tiempo
Saludos desde Barcelona
Carlos

Unknown disse...

Hi Joshua!

Thanks for your comment!
Compliments for your blogs!

bye

Pedro Freitas disse...

Só agora tenho oportunidade de lhe agradecer o simpático comentário colocado no Terra de Ninguém, sem dúvida um enorme estímulo.
Os meus sinceros parabéns pelo seu óptimo blog, que entretanto fiquei a conhecer, e que passarei a ler regularmente.

Terra de Ninguém

Blondewithaphd disse...

Well, it seems we already know, don't we?:)

In these circumstances everything we may say is a worn-out cliché but, risking the cliché, I wish you all the very best, and all the happiness and good health you wish as a family. From the heart Josh!