terça-feira, março 25, 2008

CLAUDIO MONTEVERDI, MEU ANTÍDOTO E MEU LEITE


Retrato de Claudio Monteverdi em Veneza, 1640,
lkj
Entre os teus Madrigais,
ouvidos como um pranto gozoso e dolorido nos meus dias de desânimo,
e a tua Vespro della Beata Vergine, 1610 (SV 206 and 206a),
algures por 2006, na Igreja da Lapa, Porto,
Vésperas explosivas e comoventes,
fiz da minha primeira cogravidez, tão suave e pacífica,
um aleitamento permanente de Música
ao meu primeiro bebé por nascer.
lkj
Cabisbaixo, desempregado, miserável, sem tusto,
um pouco tal como agora estou e me sinto,
levado aos pontapés desprezivos
e pisoteado por este safardana Ministério da Educação sacana,
enganado por grosso por quanta esperança punha
na iníqua e enganosa Santa Casa dos Mil Enganos artificiais,
havia ainda o músculo de sonhar e a música de contemplar.
lkj
E eras tu, Claudio Monteverdi, que em música-leite de tudo me consolavas.
Ainda agora, ao ver a minha filha, com menos de dois anos,
agarrada por sistema ao Piano lá de casa,
cantando e tocando com uma estranha obstinação cómica e afinada,
me lembro bem com quanta música tua rodeei
a barriga da boa mulher minha onde,
intocável novelo sagrado que se desenovelava,
o meu querido bebé nadava.

4 comentários:

Joaninha disse...

Tem muito bom gosto o meu palavroso amigo sim senhor, continua assim a dar bom alimento aos teus rebentos, serão no futuro pessoas muito mais felizes, foi o que o meu Pai fez comigo e olha resultou (pelo menos no panorama musical)

Berê disse...

Gostei muito do seu blog Joshua! Você escreve muito bem, seus versos são belíssimos.
Parabéns!

Ilaine disse...

Joshua!

Aqui está tudo muito belo e muito interessante. Parabéns por seu blog.

Foi bom te ver lá no baú, seus coments sâo riquíssimos. Obrigada e até!

Abraço

Silvia Madureira disse...

Que bem escrito!

Posso dizer, digno de um excelente poeta.

Sendo da área de ciências e não adorando ler...fiquei presa à boa escrita que nos faz sentir tudo o que descreve.

beijo