quinta-feira, março 13, 2008

TARANTINO, VIDA ESCOLAR EM PORTUGAL COMO NEM NA ALEMANHA


Pelo que tenho lido aqui, mas não só, Tarantino, o problema subjacente
às últimas medidas do Governo para a Educação é que são o corolário
de um denso conjunto delas que fizeram da Escola um lugar perturbado e tenso,
não já um espaço fecundo, onde serenamente se constroem Seres Humanos,
mas um sítio negro, onde se deposita gente e onde se sobrecarrega
absurdamente de Oco e Inutilia um corpo docente já exasperado.
Não há segregação avaliativa que possa gerar justiça,
nem há quórum de técnicos ou possibilidades materiais de operacionalizar
tal montante de papéis e de horas inspectivas!
A porta está aberta para o Abismo e a Guerra.
Quem a abriu que a feche!
lkj
Os erros cometidos pelo Governo de que fala Sócrates têm muito a ver
com um défice de hipocrisia e de demagogia com que,
aliado à sua ubíqua propaganda, melhor se vendessem as chamadas Reformas
que na verdade não passam de um esmagamento progressivo dos sectores
até agora pesados ao Estado, não os que partidariamente o sugam,
mas os que trabalham e mal ganham, mal se sustentam.
lkj
Tal como milhares, recuso a Via Sacra Interminável em que reconverteram o Ensino.
Tal como milhares, que não improvisam sofrimentos, recuso este entristecer de Ensinar.
Tal como milhares, que não acordaram zangados de repente,
não vejo no Ensino senão o mais nobre exercício de Amar, coisa inviável
se se faz dele um território tenso, com mais papéis e menos essencialidade relacional.
Só transpondo a revolução Patch Adams da Saúde para a Educação,
rompendo com a sisudez tecnocraticista preconceituosa,
revestindo de criatividade e de densidade humanística a vida escolar
porque re-humanizando os Espaços e as Relações da/na Escola
será possível salvar a felicidade de ensinar.
Mas a felicidade de ensinar, em Portugal, é já Utopia.
lkj
Os demais países desenvolvidos da Europa não fizeram desta matéria
um ajuste de contas da sociedade com o professorado: geraram sinergias.
Avançaram certamente a partir da pluralidade aproveitando a experiência averbada
por vidas ricas de dedicação à Escola.
Enquanto a nossa sociedade, manipulada e enganada, ajusta contas com o professorado,
não ajusta com os corruptos, não ajusta nem se lembra dos desmandos por grosso
que corroem Portugal de alto a baixo e lhe sonegam desenvolvimento e justiça.
kjlkj
Calma, Tarantino, atiremo-nos a quem realmente afunda e fode com Portugal!
E não são os professores nem os professores sindicalizados,
em grande número recambiados para a docência, os culpados:
é mais sistémico, mais difuso e permanece incólume!
lkj
Isto está um estalinismo de lés a lés: entre assassínios simbólicos de sectores sociais,
fuzilamentos metafóricos de sectores profissionais, distrai-se o Povo,
vem o Diabo e, de divertido, não precisa de escolher.

6 comentários:

Anónimo disse...

Olá! Fiquei lisonjeada com o elogio. Obrigada pela visita! I appreciate your visit...bye bye.

Anónimo disse...

Amico mio, tu honras-me com esta de mais uma vez dedicares à minha parca reflexão profunda análise!

Não, não são os professores culpadods! - isso concedo.
O que digo é que são apenas e só uma parte substancial do problema.

A Maria de Lurdes é professora, superior é certo, mas professora.
O David Justino era o quê?
E a Carmo Seabra?
E o Marçal Grilo?
E o Oliveira Martins?
E o Santos Silva?
E a Ferreira Leite?
E o Valente de Oliveira?

Vês, eu lembro-me destes mas ainda há mais uns vinte ou que raio seja ...
Como se pode edificar um edifício sólido e consistente com tanta mudança?
Com tanto penacho pequenote e ao mesmo tempo enorme de pesporrência, granzesa e bestilência?

E que fizeram milhares de professores com a merda da escola democrática que alguém ou muitos quiseram construir?
E contra as mudanças continuas de programas, de disciplinas, de experiências e eduquês sem fim?
Nada, nada e nada!

Lembram-se agora de rezingar fortemente contra uma avaliação kafkiana, burocrático-asinina mas e antes, homem de Deus?
Antes?

Quando qualquer asno chegava ao topo da carreira em dois tempos, mesmo que não fizesse a ponta dum corno?
Quando qualquer besta quadrada dava aulas e acumulava não sei quantos tachos e "jobs"?
Quando bandos de energúmenos andavam alegremente de atestado em atestado e a trabalharem noutro sítio ou a chularem-nos a nós e ao nosso suor em casa?

Não te dói essa merda, Joshua?
A ti que merecias um lugar para realizares a tua suprema ambição (dar aulas) e não podes?

E a culpa é só da Maria de Lurdes?

E agora até já por aí circulam difusos e soezes ataques aos pais, havendo mesmo quem já venha que o gajo da CONFAP está ao serviço da Maria de Lurdes e eu digo isto e nem conheço o gajo de lado nenhum, mas digam-me lá se o prolongamento dos horários, as aulas de substituição ou de recuperação, as actividades lectivas extra-curriculares são ou não são boas medidas?
Mesmo a panaceia dos portáteis acaba por ser um mal menor...

Mas não, para alguns (e atenção que não digo que és tu) está tudo mal e a culpa é só da aventesma da Maria de Lurdes.

Falta papel na cagadeira da escola primária? A culpa é dela!
O presidente do Conselho Executivo é um refinado filho da puta? A culpa é dela!
O cabrão do colega é um asno que não ajuda ninguém, não faz nada mas lá se vai safando? A culpa é dela!

Sabes que mais, os gajos (então aquelas duas bestas dos secretários de Estado) aproveitaram-se foi da nossa inveja para entalar os professores, por exemplo, assim como o asno do Figueiredo fez ao resto da Função Pública.

E ninguém pia. Antes, os que trabalham em fábricas e no caralho ficam todos contentes, batem palmas e dizem que é bem feito para estes filhos da puta de chulos que não fazem nada!

Esquecem-se, as bestas, que nos estão a foder a todos.

E sabes, Joshua, isso lá na Europa é muito bonito mas aqui não... e sabes porquê?
Porque aqui qualquer real besta dum filho da puta que saiba dizer "tátá" se pensa uma sumidade e na sua capela ninguém mexe, ninguém fode.

Eis outros dos males da Educação, por isso falei das resmas de requisitados. Olha, fosse eu ministro e a primeira medida era cessar toda e qualquer puta de requisção. Só para se saber quantos andam em sindicatos e corredores ministeriais e autárquicos a debitar sem fazerem a ponta dum corno!

Manuel Rocha disse...

Sim, Joshua, concordo contigo !

Quem fode com Portugal somos todos nós. Mas como este nós tem nomes próprios, é bom que os senhores professores aceitem que têm andado, como muitos mais, cómodamente chulando a vaca nacional.

Não é a teta dessa vaca que lhes alimenta os sindicatos ? Os metalúrgicos também têm sindicalistas pagos pelo contrinuinte ? Os professores de Braga só agora repararam que muitos executivos acabam por ser eleitos perante a demisssão absoluta dos restantes colegas do corpo docente, ou seja, que muitos berram que está tudo mal mas poucos são os que se disponibilizam para avançar o coiro para endireitar uma cadeira caida que seja ? Quem é que te avalia a ti no teu trabalho ? Algum catedrático ? Mas o professor que andou anos com licença sabática a doutorar-se no olho do gafanhoto para dar aulas de biologia ao terceiro ciclo não faz por menos e só admite ser avaliado por uma comissão de sábios!Quem é que querem enganar ? Então capacidade cientifica e capacidade pedagógica são a mesma coisa ?

Sabes, porque também me lês, que tal como tu discordo de muita merda. Mas para o fazer gosto de estar de consciência tranquila, custe-me isso o que custar. Essa consciência os professores como classe não a podem reinvidicar. E dizer isto não é apoiar a ministra nem ser contra os professores. É ser contra o sado-masoquismo de uma certa concepção de cidadania que nos traz a todos mal fodidos, e lamentar que haja quem goste e viva uma vida inteira cómodamente instalado numa relação de merda para só começar aos berros quando o cónjuge teve tomates para dizer que ia começar a dormir no quarto das visitas, certo ?

Desculpa o "post"!

:))

Manuel Rocha disse...

Quint,

Também gostei do teu "post"...:))

Está bem melhor que o que deixaste hoje lá do teu lado...:))

Aqui o Joshua tem o dom de nos levar a soltar outras páginas do nosso frondoso léxico...e resulta !!

António de Almeida disse...

-A educação padece dum mal há já vários anos. Os professores fazem parte do sistema, são em simultâneo vítimas e culpados. Urge repensar a escola, os professores fazem parte da mesma, logo nenhuma reforma poderá ser feita sem eles, menos ainda contra eles, mas também não podem ter veleidade de manter o status quo, progressões automáticas, antiguidades e outras bizarrias da adm. pública portuguesa, é necessário começar a pensar na substituição da burocracia, pela meritocracia. Em toda a administração, e por consequência na escola.

Pata Negra disse...

Sobre o assunto já está tudo tão dito, do mais mal dito ao melhor dito que já não me ocorre acrescentar nada a não ser: quem tiver ouvidos, veja, quem tiver olhos que oiça!
Tudo o resto é apenas a fuga para o abismo!
Um abraço sem Tarantino que prezo