domingo, março 09, 2008

QUEM PERGUNTA MELHOR?


Apreciei imenso a entrevista de Mário Crespo a Villaverde Cabral.
As perguntas do Mário são corajosas e não pegam de cernelha.
Villaverde Cabral desenvolveu bem melhor o seu pensamento sobre este processo completo.
As questões do radicalismo e da intransigência neste Governo têm história
e currículo e explicam bem os tempos que correm agora na Educação.
Hostilizar tudo e todos em nome do ter razão é um estigma estúpido
de que ninguém escapa ileso neste Governo vezes sem conta,
agora com este Ministério da Educação desmoronando-se estrepitosamente.
Correia de Campos também pontificava nesse exercício flagelador até ao asco.
Maria de Lurdes pontifica altiva, doce e segura, como quem estrangula convictamente,
nestas políticas oxímoras. Os dados estão lançados,
assim como o caos.
lkj
O João Gonçalves também faz a sua síntese e leitura de estes Radicais Recauchutados,
embora nutra pela labiríntica, atrabiliária e tecnocrática mulher
uma notória admiração mais forte que ele,
admiração talvez semelhante à que vejo reluzir no olhar revanchista
de um Auxiliar da Acção Educativa que me vem dançar, beber e fumar no Pub
onde complemento a minha sobrevivência e peno madrugadas perigosas
em violentas companhias e derradeiras conversas hiperperigosas,
mães de todos os crimes e de todos os golpes.
lkj
Um homem que me confidencia o perfil proibitivo do Homem do Machado, seu ex-colega,
que me conta que ao longo dos anos «só viu merda nos professores da sua escola»,
que por isso mesmo apoia a Avaliação e a Ministra
como se apoiasse a re-introdução da Pena de Morte, sem mais considerandos,
vingando-se talvez de, nascido de uma família de professores,
não ter na vida ido além da magna função de Auxiliar da Acção Educativa:
lkj
«Vale a pena ler este post de um "socrático" irritado,
sobretudo porque - espécie rara - é uma forma de vida inteligente.
Apenas duas observações. O dr. Santos Silva, dos Parlamentares,
é um homem amável que também é uma velha "raposa" educada no velho MES.
KJH
Aliás, "isto" está a radicalizar-se porque,
como recordava Villaverde Cabral a Mário Crespo,
muita da gente que nos pastoreia tem um passado radical.
Cabral, aliás, sabe do que fala porque também lá andou
tal como Lurdes Rodrigues.
lkj
Não é por acaso que, nestas aflições, Sócrates desaparece.
Falta-lhe o "músculo" e o engenho de um passado de extrema-esquerda
ou, para os devidos efeitos, de um passado qualquer.
Por isso, a peroração de Santos Silva sobre o PC,
a par com o Doutor Salazar, não surpreende.
Nem a "dureza" de Lurdes Rodrigues.
Aprenderam todos pela mesma cartilha.»
çlk
João Gonçalves, in Portugal dos Pequeninos

1 comentário:

antonio ganhão disse...

O verdadeiro drama é que este é um povo que nasceu para ser pastoreado...