terça-feira, dezembro 29, 2009

LUXO CATRAPUM DOS FALIDOS


Indiscutivelmente, se o País económico e político é gerido como o clube do Aro, do Galhardete e da Águia, em que, por um lado, se é pródigo nesse linguajar do luxo sempre contratador e respectivo espectáculo prometedor, mas, por outro, os títulos são cada vez mais escassos, em algum momento se rebentará ou rebentaria. O País é de facto gerido à rédea solta, engorda por incúria os boys da partidocracia socialista/social-democrata e parece estar sempre a salvo. O Clube do Aro também, isto é, dá-se a misteriosa evidência de nunca rebentar malgré tout. Para consumo portista, o velho sarcasmo pintista com o petróleo lisboeta não poderia ser mais certeiro.

4 comentários:

Daniel Santos disse...

dissestes bem, o velho sarcasmos de Pinto da Costa, a que eu acrescento de gasto.

Anónimo disse...

Enquanto a justiça neste país tiver Morgados, jamais esses barões da vigarice de Lisboa serão incomodados. Este país está a saque.

Anónimo disse...

No Porto não há petróleo, mas há frutinha e café com leite.

Anónimo disse...

O Pinto da Costa não tem petróleo : gastou o dinheiro na fruta, no leite com chocolate, nos envelopes com "aconselhamento conjugal" , nas viagens ao Brasil , etc . Será que ele vai dar outra vez a palavra "de honra" que não está a negociar jogadores ?
Vamos ver mais uma vez quanto vale para ele a honra ?