terça-feira, setembro 19, 2006

ÓLEO EM FUGA














Doçura de fêmea
que resguarda e mostra
a seda que cobre outra seda, invisível jade
lhe roça a pose, aposta
luminosa num gosto que gosta.
Óleo luzente
desse tecido vivo,
foge-te a própria alma
fremente.


Joaquim Santos

Sem comentários: