segunda-feira, setembro 11, 2006

POEMA OBSCURO















Ainda que te rejeitem, persevera.
Ainda que te amaldiçoem, resiste.
Ainda que te digam que não consegues, segreda-te que Podes.
Ainda que façam a injustiça de te desperdiçarem a experiência e a sensibilidade, manifesta-as.
Ainda que te liquidem, sobrevive.
Ainda que te desprezem, considera-te acolhido por Quem te ama e por quem amas.
Ainda que te minimizem, brilha.
Ainda que te visem destruir, manifesta-te inabalável.

Ainda que, mentindo, digam que não tens valor, sorri consciente do que vales.

2 comentários:

Anónimo disse...

esse optimismo é precido! Gostei deste poema obscuro que de obscuro nada tem, a não ser a particularidade de responder a aberrações que por serem anónimas não existem...
Abraço

Anónimo disse...

ops!!! esse optimismo é preciso e não precido!
As minhas desculpas