sábado, setembro 19, 2009

COCÓ DO DN FRANGO E AUTOGOLO


Os silêncios pesados da Presidência da República terão inconvenientes menores que a tagarelice sôfrega do Grande Feirante "Sexy", mas provavelmente ficará demonstrado como, porquê e quando as escutas governamentalescas à PR se fizeram e como o facto em si nada teve de "encomenda" conspiratória presidencial. A manchete do DN, asqueroso cocó que foi, toma ares de frango e autogolo vista mais de perto. Toda esta questão, enferme do que enfermar no plano da Ética esperável entre órgãos de soberania e da Ética habitual entre órgãos da Imprensa, tem um sentido único: o comportamento do "Governo" Sócrates é deplorável em toda a sorte de suspeições e manipulações por muito seráfico e mavioso que nos apareça agora nas TVs e nas rádios o seu Ainda-PM. Note-se o sintomático de vivermos uma governamentalização tão massiva de tudo o que mexe que a Presidência não confia nem no Ministério Público nem na PJ. Se a Presidência não confia por estarem partidarizadas e por isso mesmo capturadas na sua isenção, como confiaremos nós?!: «"O que foi efectivamente descoberto é uma incógnita que fonte oficial do Presidente da República não quer confirmar", acrescenta a notícia do Correio da Manhã, divulgada hoje. O mesmo artigo acrescenta ainda que "o assunto não foi tratado nem ao nível do Ministério Público nem da Polícia Judiciária, por a Presidência da República entender que as mesmas poderiam não garantir a 'confidencialidade' do acto".»

5 comentários:

Pinus Erectus disse...

Um país não vive de teorias da conspiração. Um Presidente da Republica age com dados concretos!! De concreto nesta história, somente o mail transcrito no DN que implica directamente o PR.

joãoeduardoseverino disse...

Joshua

Muito bem escrito. O DN foi um nojo e cometeu grave crime em todos os aspectos. A bufaria é tão grande que até já se revelam as fontes dos colegas.

Quanto ao comentador Pinus Erectus quem é que lhe disse que o conteúdo do email publicado no DN é verdadeiro? Ser socrático não implica forçosamente ser-se mentiroso.

H. Sousa disse...

Apoiado!

joshua disse...

Pinus, não incenses a tirania. Vota PCP.

Entre Cavaco e Sócrates venha o diabo e escolha, ou melhor, nem o diabo pode escolher em causa própria. Entre dois absolutistas egocratas moucos aos problemas incapazes de uma visão estratégia progressista para Portugal, o segundo é perigoso de mais, excrescência máxima desonesta.

Não se pode tergiversar. Ou Portugal ou Sócrates.

Anónimo disse...

Caso das escutas Assessor de José Sócrates fez tese sobre Cavaco e pertence à maçonaria Rui Paulo Figueiredo pertence à loja maçónica Mercúrio. Em 2007, substituiu Carrilho como vereador na Câmara de Lisboa.Foi professor na Independente "Aníbal Cavaco Silva e o PSD". Este é o título da tese de mestrado que Rui Paulo Figueiredo concluiu no ISCTE, em 2004. O assessor de José Sócrates, que alegadamente terá vigiado Cavaco Silva durante uma visita à Madeira, fez uma tese sobre o actual Presidente da República, o que podia indiciar que este teria investigado Cavaco Silva. Porém, consultando este trabalho, percebe-se que apenas utilizou como material de investigação artigos publicados em jornais e biografias públicas de Cavaco Silva. Além disso, a tese nem é de teor opinativo e conta com 400 páginas de pura objectividade. Ainda assim, seguindo o percurso de Rui Paulo Figueiredo é fácil encontrar factos que o ligam a S.Bento e... a Belém. Além de ser militante socialista, Rui Paulo Figueiredo foi professor assistente de Direito na Universidade Independente, a mesma do primeiro-ministro. O rol de curiosidades também se estende ao seu percurso político, uma vez que pertenceu ao núcleo No entanto, Rui Paulo Figueiredo também fez parte da secção do Alto de São João. Era lá que estava quando no início de 2007 substitui Manuel Maria Carrilho na vereação da Câmara Municipal de Lisboa, por este ter renunciado ao cargo. Tentou ter uma vereação dinâmica e chegou a criar um blogue que pretendia ser uma plataforma de comunicação com a cidade: "Lisboa quem te viu e quem te vê" . A história fértil para teorias da conspiração não se fica por aqui, pois este pertence a uma organização conhecida pela sua influência: a maçonaria. Os especialistas dizem que a Loja Mercúrio, da Grande Loja Regular de Portugal (GLRP), é das mais influentes no universo maçónico nacional. É certo que não integra a maior obediência da Maçonaria portuguesa - o GOL (Grande Oriente Lusitano) - mas entre os seus membros estão figuras que têm o dever de estar muito bem informadas sobre o que de mais importante se passa em Portugal, como Jorge Silva Carvalho, chefe do Serviço de Informações Estratégicas de Defesa (SIED) e que depende do secretário-geral do SIRP, Júlio Pereira. É nessa loja maçónica que "milita" também Rui Paulo Figueiredo. O socialista tem 38 anos e é director do Instituto Transatlântic.