sábado, novembro 27, 2010

FMI: IMPOSING MISERY FOREVER

Quem coopera com as mentiras, mente. Quem condescende com falsificações, falsifica. Quem assiste ao processo de desmantelamento nacional, desmantela cooperativamente. É por isso que o ano de 2011 será o ano do passento PSD em união de facto com o FMI, após um casamento orçamentalmente gay com o PS, que vai estrebuchando com duas de letra, ora agora nas palavras "credíveis" de ASS ora mais tarde nas palavras de ninguém, porque poucos mais socialistas se arriscarão ao vexatório processo de vir para as rádios e para as TVs fazer o frete de Mohammed Saeed al-Sahhaf, disfarçando o indisfarçável. Ao PS nada o pode salvar das responsabilidades pelo imponderável peso da dívida e o obsceno descontrolo do défice, coisas para as quais não pode haver perdão ou atenuante. Este OE, tosca repleta de erros e de opacidades manhosas, foi aprovado como uma marcha funerária é executada a propósito. Já se sente o cheiro a  FMI, embora, segundo os especialistas, a Espanha, por ser tão pesada e suculenta, tenha tudo para ser a próxima vítima dos mercados e não Portugal, que lhe sofrerá as ondas de choque demolidoras a que já está habituado. Cavaco, um medroso com bom coração, íntegro como um sol de Inverno no Pólo Norte, lá terá de ser o que nunca foi, político. Uma vez reeleito, teremos o mais alto magistrado da Nação a cortar a fita de um País a capitular num grande naufrágio nacional urdido e acalentado pela nata do "pensamento" político e da "visionária" estratégia "socialistas". Este pessoal não brinca em serviço e é extremamente competente a desgraçar. Quinze anos sempre a dar-lhe! Ah, valentes!

2 comentários:

Eduardo Miguel Pereira disse...

Andava eu, no alto dos meus 16 anos, empenhadíssimo nas lutas pela Associação de Estudantes, quando tive o (des)prazer de conhecer pessoalmente um jovem JSD que dava pelo nome de Pedro Passos Coelho.
Por um mísero apoio da JSD à nossa lista, queria que lhe déssemos um "porco" para que nos desse um "chouriço".
Já ali emergia o político que hoje temos.

Ontem, como hoje, só tenho uma coisa a dizer a PPC :

- Ó Pedro ! vai levar nas cadeiras, vai !

floribundus disse...

'o cu do ps deu um peido.
o do psd disse: cala-te. tens um passado vergonhoso'