sábado, novembro 27, 2010

POSSUM NON CREDERE ID VERUM ESSE

Tendo como principal características o duplo pensar socratista e sendo um delambido apoiante do socratismo visceral, que o truculento e proporcionalmente inconsequente Marinho Pinto tenha sido reeleito como bastonário da Ordem dos Advogados é um verdadeiro desafio ao gosto de sofrer nacional e à reincidência nos mesmos males, males que João Correia, agora demissionário desta governação, imputa a uma parte do PS ao estar essa parte "naturalmente" «contra a Justiça». Ou então tudo isto, a vitória de Marinho, se explica com base na complexa técnica de ganhar eleições testada com sucesso em 2009. Seja como for, é o masoquismo reincidente nacional que está no bom caminho. Parabéns, masoquistas!

2 comentários:

Anónimo disse...

Surpreendidos? Mas não estamos num sítio chamado Portugal?

Joaquim Ferreira disse...

Portugal A Caminho do Abismo. Aos poucos já começam a abandonar o barco. Este abandona o navio antes que não haja um salva-vidas para ele... Mas, de momento, ainda terá um salva-vidas (uma empresa pública, um tacho onde ir ganhar umas 10 vezes mais do que ganhava como Secretário de Estado. Não temos dúvidas de que o barco caminha para o abismo... Ele vai afundar-se como nos prometeu José Sócrates! Mas com uma diferença face ao timoneiro do Titanic: ele ficará só até quando já não memos maneira de evitar que se afunde. Contrariamente a Guterres (que se pôs na alheta quando viu que não era capaz nem de calcular 6% do PIB) Sócrates ficará para certificar-se de que o barco se afunda mesmo. Quando o Destino é o Abismo...
Vejam que, depois de ter dito que a sua primeira legislatura tinha sido A Tempestade Perfeita” ainda voltou a candidatar-se para se assegurar que o destino do barco era mesmo igual ao do que teve o barco no filme “Tempestade Perfeita”. Legislatura de Sócrates - A tempestade Perfeita !
Porém, estamos convictos de que, na hora em que o barco estiver totalmente quebrado e a afundar-se irremediavelmente, também ele terá um salva-vidas reservado. E, a julgar pelos carros que têm comprado, creio que finalmente se vai assumir como “vendedor de automóveis”! Direito à Greve versus Direito a Trabalhar .