sábado, novembro 20, 2010

STOOGES

3 comentários:

floribundus disse...

'ménage à trois'
'olha que três'

Anónimo disse...

Como cresci com a televisão a preto-e-branco (apenas a partir das 13h!), com "As memórias do nosso tempo", com os ecos finais do Vietname (no TV7 uma vez por semana com Fialho Gouveia e Fernando Peça), com o meu tio no Ultramar (2 comissões na Guiné) e depois com imagens diárias de Nixon e o escândalo watergate - misturado com a abrilada de 74, enfim, por isto tudo não consigo achar qualquer espessura e importância a esta "gente nova" saída do nada como por encanto, quais sacos cheios de gás. Da esquerda para a direita: um filho de um imigrante polaco em França, cujos principais atributos são o seu nome rebelde às gargantas gaulesas e ser casado com uma ex-modelo - mais alta, obviamente;
um homem que só é presidente dos EUA porque é mulato (os pedantes dizem "afro-american"), filho de um queniano e de uma americana branca (Áh! e porque foi educado pelos avós brancos, os malditos...);
uma mulher germânica, banal como uma contabilista, e que do alto da sua poderosa indústria (herdada...), que cavalga qual valquíria suburbana, tem um lugar de destaque que outros tempos mais exigentes jamais lhe confeririam. E quanto a "Stooges", estes são apenas três. Deus nos guarde e ampare!

Ass.: Besta Imunda

Unknown disse...

"Os Três Estarolas" .Grande parelha de vaudeville...