quarta-feira, novembro 24, 2010

MERKEL ESCAVACA

Citando Teresa de Sousa, que não deixa de ter alguma razão, os corporativos, isto é, assessores governamentais, isto é, ninguém, perguntam sabiamente se Merkel acordará tarde? O objectivo destas sôfregas citações e referências é agora assessorar o governo no choro impostor de inocência e ajudá-lo a passar ao registo do coitadinho. Mas além de não pegar, já é tarde para isso. Sócrates brincou aos berlindes, fantasias cortantes e ilusões mortíferas. Trapaceou primeiro o eleitorado. Depois teve a mão nupcial do PSD ingénuo, que atraiçoou duas ou mais vezes. Teve tudo. Beneficiou da infinita condescendência de quase toda a gente, até finalmente lhes espetar a frio com a realidade do défice e da dívida, dos cortes salariais e das perdas sociais. Quem poderia ser mais sonolento, irresponsável, e brincar mais à consolidação das contas públicas dos seus estados, Merkel ou Sócrates? Sinceramente, há muitos portugueses que consideram providenciais os petelecos que a chanceler vai dando, sempre que fala, porque talvez sejam a única forma, porventura deliberada, de sacudir da União governos ineptos, desonestos, que prezaram muitíssimo mais a manutenção do poder, com os seus esquemas malignos, que o bem objectivo dos seus povos. Fala e de facto escavaca com as escassas hipóteses dos periféricos na sua crise. Povo que é Povo não admite abusos e enganos consecutivos. Nós admitimos. Nunca me rebelarei contra Merkel e a sua falta de tacto sem antes começar por demolir o socratismo e quem o apanhar por tudo o que vai destruindo à medida que dura por durar.

Sem comentários: