quarta-feira, junho 29, 2011

DE MANEIRA COMERCIAL E NECRÓFAGA

«...por outro lado, a estação de Queluz de Baixo fez 'permanentes' e desnecessários directos  sempre com um repórter de plantão e os juvenis emplastros em fundo  a partir da porta do Hospital; de maneira completamente comercial e necrófaga. Até na agonia e depois na morte o 'morango' era seu, obra sua, investimento a rentabilizar, gladiador ferido que ainda poderia render publicidade. Vergonha. Todos os dias ficam mutilados ou morrem nas estradas vários jovens (já para não falar nas crianças muito pequenas e em adultos de todas as idades, capazes ainda de trabalhar ou criar filhos) talvez não tão 'estéticos', mas é o Angélico a captar a atenção e a provocar recomendações de segurança aos espectadores  de forma dramática. Nem sei se vão surtir efeito. Depois de devidamente passada a histeria dos não-familiares, tudo voltará grunhamente ao mesmo  com o consumo criminoso de substâncias, condução ilegal, veículos em mau estado, etc.» Besta Imunda

1 comentário:

José Domingos disse...

Excelente texto, nem mais. Os orgãos de formatação, cá da pocilga, metem nojo.