terça-feira, junho 14, 2011

MOTA AMARAL NÃO, OBRIGADO!

A primeira desilusão vem a caminho no chamado desencontro entre PSD e CDS por causa de Fernando Nobre. Eu quero ver, porque vejo com bons olhos, Fernando Nobre como Presidente da AR: parece da mais cristalina evidência necessitar aquele organismo, capturado pelos interesses endógenos dos Partidos, de um exemplo de virtudes em vez do habitual exemplo de amamentação, lóbi politiqueiro, indiferença para com os cidadãos, falhas que a AR ostenta já como labéu infamante. Qualquer rearranjo no novo executivo que faça pressupor na presidência do Parlamento o sistémico e repetidíssimo Mota Amaral será péssimo sobretudo por causa do papel rançoso que jogou na Comissão Parlamentar PT/TVI onde se investigava a intromissão abusiva do Primadonna e dos seus fantoches na tentativa, bem sucedida!, de condicionar a linha editorial da TVI. O eterno parlamentar decorativo Mota Amaral mostrou de que era feito: nada com um toque subtil de excremento moral e um travo a ranço ético. Essa espécie de obsceno sangue azul parlamentar que se esmera em encobrimentos e protecções inter pares, bem no cerne da culpa e da fealdade moral dos protegidos, tem de acabar.

Sem comentários: