domingo, junho 19, 2011

PARTIDARITE GRUNHA CONTRA NOBRE

A hipocrisia avulta nos partidos, especialmente na hora de, após se ter ido a votos, se ir a cargos. A julgar pelo nervosismo e transcendência cínica colocados na presidência da AR, parece que todos os monos da partidarite que antecederam ou poderão ter antecedido o cidadão Fernando Nobre na presidência da AR, incluindo Jaime Gama, eram, só poderiam ser!, extremosos especialistas no respectivo regimento. Nada mais grunho que a indicação ressentida de voto à bancada contra a candidatura de Fernando Nobre por parte do Secretariado do PS porque «se trata de um candidato que não reúne as condições para um bom desempenho das funções de presidente da Assembleia da República». A Assembleia da República não pertence aos partidos nem se esgota neles. É nossa. Antes que a decadência e o abismo produzam os seus derradeiros efeitos, conviria lhe presidisse um homem capaz de a olhar e conceber segundo o ponto de vista dos cidadãos. Não me desiludam, deputados. Elejam Fernando Nobre.

1 comentário:

Miguel Rocha disse...

"A Assembleia da República não pertence aos partidos nem se esgota neles." Não diria melhor. O sr. Daniel Oliveira parece não compreender essa ideia.