sexta-feira, fevereiro 11, 2011

COLOSSAL NECESSIDADE

O Governo é Sócrates e Sócrates é mau. Todos sabem que é mau. Todos sabem o quanto desmobiliza intimamente os portugueses pelo péssimo exemplo que dá; diz uma coisa e faz outra; desdenha de todos que não ele mesmo e os seus íntimos e fiéis galfarros. Todos sabem que se mostra aguerrido e "competente" na disputa política pela disputa política, mas é um Zero Sinistro na resolução de problemas, tomada de decisões, estrangulamento fiscal da sociedade. Santana Lopes mostra-se chocado com a iniciativa do BE, mas perante os 7,6 % de juros da dívida, deveria saber que pior é impossível. Seis anos de covardia e covarde pacto com o Mal por parte do PSD já deveria chegar, não?!

5 comentários:

Anónimo disse...

BE parece que aprendeu algo com o Coelho da Madeira (candidato a Presidente): o Povo nunca votou no BE por acreditar na sua ideologia, mas sim porque queria votar nos candidatos mais excentricos por vingança contra os politicos. Como o BE já se integrou (qual cidadão a viver do rendimento mínimo apesar de dizer mal do Estado..), o Povo vai votar noutros excentricos, pois eles vão aparecer no futuro, acreditem. Para mim, o BE está a viver um momento em que começa a declinar, porque vê-se que não cresce mais. E o seu líder já percebeu isto. Daí que este número político serve principalmente para focar as luzes da ribalta no BE, dando-lhe notoriedade e protagonismo. O problema é que, de número politico em número politico, o BE vai esgotá-los, tal como o Socrates já não engana ninguém com as suas visitas a empresas de sucesso, escolas de sucesso, atribuição de nomes positivos a coisas negativas, como por exemplo, os PEC, que são aumentos de impostos.

Anónimo disse...

Com "tantos lideres" dentro do PSD, Pedro Passos Coelho não vai conseguir derrotar Sócrates. O PSD tem demonstrado nos últimos anos que continua a luta pela liderança em vez de pensar no país que tanto precisa do PSD. Santana Lopes, vem dar razão a Sócrates sobre a moção de Censura. Pacheco Pereira não dá razão directamente mas está á espera que Sócrates se reorganize para que Sócrates obrigue o PSD a derrubar o Governo e a ir a novas eleições quando der mais jeito ao PS. Aguiar Branco no meio de tudo parece a pessoa mais racional. Vejamos agora a Coragem de Pedro Passos Coelho. O pais perde muito mais com um 1º ministro descredibilizado, um governo de lobys e compadrio, como diz Mário Soares do que partirmos agora mesmo para eleições. O PSD tem medo de governar com estas dificuldades deixadas pelo PS na economia? Portugal não vai conseguir safar-me da mingua durante as próximas décadas. Derrubem o Governo para bem de Portugal.

Anónimo disse...

PSD e CDS disseram ontem que esperarão para ver e que têm de analisar e ponderar bem. Querem a queda do governo, mas em princípio não agora. Só que também têm alguma dificuldade em ajudar a manter no poder um governo que dizem ser mau e até dizem que não governa.

Anónimo disse...

Portugal é o país em que a extrema-esquerda mais peso tem. Porque será? Será que os portugueses são mais inteligentes que os restantes povos da Europa e não só? Ou será o contrário! Será porque os cabeças destes partidos serão tão competentes que consigam levar atrás deles tão grande numero de pessoas, ou serão estas tão estúpidas que se deixem arrebanhar por esta cambada de malfeitores, que mais não visam que viver no bem bom á custa dos contribuintes, sim dos contribuintes, senão qual o trabalho válido efectuado por esta gentalha. Seria bom as pessoas reflectirem e não se deixassem embebedar, como aconteceu no tempo do prd, alguém se lembra deste partido que nos anos oitenta também apresentou uma moção de censura, que foi aprovada, deu lugar ao cavaquismo de má memória e o prd alguém sabe dele?O governo de Cavaco foi o que dispôs de mais fundos estruturais vindos da então CEE, destinados á modernização da economia e que proporcionou a muitos empresários melhorar a sua forma de vida na aquisição de boas moradias, bons barcos de recreio, aviões particulares, contas offshore em paraísos fiscais, etc., etc., enquanto que foram abatidos milhares de postos de trabalho na agricultura, ..

Anónimo disse...

Que a situação do país é agonizante, todos o sabemos , e como um doente moribundo o país resvala todos os dias para o abismo. É urgente para o país um plano devidamente orquestrado que, nos próximos anos nos devolva a confiança e nos coloque no caminho da recuperação económica. A grande questão é, de onde surgirá ou poderá surgir o grupo de pessoas que levará por diante tal tarefa. Deste governo penso que não será possível aproveitar seja quem for, tantos são os vícios e os maus exemplos de lá saídos. Poderá pensar-se num governo parlamentar, mas, creio não ser possível devido às divergências entre os diferentes partidos. Quanto a mim a melhor opção é devolver o poder de decisão ao povo, mas neste ponto coloco outra questão, É este o momento? Existirá alguma força que tenha um plano de acção preparado para assumir o poder, e estará o povo consciente que, a haver eleições estas serão decisivas para o nosso futuro enquanto povo, que não haverá lugar para experiências falhadas ou hesitações. Quem ganhar o poder, terá de o ter em maioria absoluta ou não terá a força necessária para aplicar as reformas que são exigidas. Os partidos não se entenderão,será capaz o povo de se entender?