PROFÉTICA MÚMIA DA RINCHOA

Depois do choque, conclui-se da extrema utilidade dos mortos. Eles podem denunciar. Eles podem revolucionar. Há uma data de mártires, de santos e heróis involuntários que ganham um poder descomunal. Mas só depois de mortos. Segue-se que, graças a uma história, a da múmia da Rinchoa, que verbera o País e desassossega o português comum, não só se encontraram mais mortos sem dono como a profiláctica culpa se multiplicou numa profusão de iniciativas a puxar ao sentimento com jovens a passear velhos, compenetrada e paternalisticamente. Retroactivamente, recebemos um potente murro no estômago. Foi dada por ela, nove anos depois de encontrada ressequida.

Comments

George Sand said…
Uma linguagem crua mas com um grande fundo de verdade.
florbundus said…
o pm é aquilo a que Agildo Riberiro chamava
'a múmia paralítica'
José Domingos said…
Nem mais. Excelente.
Já deviamos ter vergonha á mais tempo.
...
Amiga,
Amissíssima,
Anabela,
Anabelíssima,
penitencio-me de só quase um mês após me haver dado conta deste tão terno post teu, minha boa Amiga.
Irene, nome de paz, em grego Ireni, que significa Paz / e seu pai é grego / já vai crescidinha e com 3kg e 300gr.
Pois um beijinho para ti, pela blogosfera, até Amarante, de Irene, em Miramar, e de avô Chôa em Setúbal.
Que muito bem hajas!
Toda a Felicidade do mundo para ti, Anabela.
Setúbal, 15ii2011 (a 4 semanas menos um dia de depois de Irene nada (ou nascida) a este mundo nosso),
beijinhos mais, nunca bastantes,
Ochôa
in
http://anabelapmatias.blogspot.com/2011/01/nasceu-irene.html

A luta continua, minha Amiga, até Alá, ou Iawhee, ou a Santa Liberdade, ser «tudo em todos», como reza o apocalíptico texto!
Beijinho, Amiga.
Beijinho, e Paz!
In
http://anabelapmatias.blogspot.com/2011/02/dia-da-ira.html