sábado, fevereiro 19, 2011

CONCILIÁBULO DA DEPUTAÇÃO

A decepção previsível da semana foi o facto de o PS e o PSD terem rejeitado, no Parlamento, a redução remuneratória dos gestores das empresas públicas. Remunerações perdulárias. Remunerações associadas muitas as vezes a prémios de desprodutividade por ausência de resultados. Vencimentos principescos, apesar do prejuízo galopante das respectivas empresas, apesar da extorsão que significam ao erário ou não estivesse a gentalha clientelar do PS e do PSD está lá toda aconchegada a mal de todos nós. Não custou que se unissem para baixar salários de funcionários públicos no valor bruto de mil e quinhentos euros. Fica assim resumida toda a lógica reles a reger ladrões. Razões para a responsabilização individual dos deputados, numa reforma eleitoral que tarda. Razões para a ruptura com a máfia em torno dos partidos do poder. Razão para mil revoltas. É preciso que estes arranjos rasteiros lhes expludam na cara, cambada de cretinos toda essa deputação arranjista!

Sem comentários: