domingo, junho 14, 2009

ANATOMIA AO OPTIMISMO BURLÃO

«"Em eleições de segunda ordem, os cidadãos sentem-se mais soltos das questões de governabilidade e podem exprimir um voto de protesto que não significa a adesão ao programa do partido em que votaram", considera [ASS]. Ou seja, não há ainda a opção por uma alternativa de Governo externa ao PS. Além disso, a elevada abstenção permite ao núcleo duro defender que uma boa parte do eleitorado — 62,95% — ainda não avaliou o Governo.» Efectivamente, comentadores, analistas e mesmo membros do Partido do Rato, como ASS, têm vindo a terreiro defender a tese de que o PS-Governo carece de se explicar melhor ao eleitorado, uma vez que não está a ser suficientemente "entendido": «O "novo homem português", é nórdico, mas ainda não lhe foi "bem explicado". O problema está na "comunicação", na necessidade de "explicar melhor". Água mole em pedra dura... [...] Sempre nos pareceu que quem insufla tanto optimismo, tanta confiança, o faz, para abusar dela.»

2 comentários:

Anónimo disse...

Sócrates teve a lição que merecia desde há muito tempo. Apesar do nível elevado de abstenção, está à vista que os portugueses rejeitam amplamente as políticas que têm sido seguidas pelo governo. Está, também, à vista que os portugueses não querem como 1º ministro um indívíduo envolvido em mentiras e escândalos impossíveis a um chefe de executivo. Há ainda elementos de uma equipa ministerial cuja postura e comportamento cínico, arrogante e autoritário gera ódios junto das pessoas (Santos Silva, Vitalino Canas, Ministra da Educação, Ministro da Agricultura, e outros). Acrescente-se a estes factores o desemprego crescente, o aumento das desigualdades sociais, a falta de credibilidade dos actos públicos, o descrédito no funcionamento das Instituições e Organismos Estatais, os favorecimentos ilícitos, os escândalos sociais e financeiros, o péssimo funcionamento de sectores vitais do Estado (Justiça, Segurança, Saúde, Educação). É uma mistura impossível e explosiva. Os portugueses têm ainda de aguardar até Outubro para suportar mais do mesmo. É um prejuízo imenso para o país. As consequências desta situação vão demorar muitos anos a apurar e reparar. Só espero que se faça Justiça!


O PS de José Sócrates não quis "ver" os sinais de rua... agora, quer camuflar os resultados óbvios de uma eleição "de segunda" (afirmou Augusto SS!) Os "boys" e seu lider, perderam, por completo, a sanidade mental!

Foi fraca a penalização do PS. Um partido-rolha (navegando ao sabor das circunstâncias e das conveniências), que mandou às malvas os princípios que dizia possuir, que em nada difere de outros como o PSD ou o CDS e que com estes contribuiu para o afundamento vertiginoso do país, que crispou a sociedade portuguesa de alto abaixo, um partido recheado de gente de moralidade duvidosa, ainda conseguiu ter 26,6%! Que juntodos aos 31,7% do PSD (e, já agora, aos 8,3% do CDS), deveria preocupar qualquer um. Qualquer filho de boa gente. Qualquer filho de quem faz do seu trabalho o modo único de subsistência. As pessoas não devem ser só chamadas para dar o seu voto. As pessoas devem colaborar, devem agir, devem ser sujeitas da sua própria história e fazedoras do seu próprio destino. A Esquerda teve 21,5%. Não é mau, mas é ainda pouco. É preciso muito mais gente para pensar e para transformar. É preciso discutir, reivindicar, propor. É preciso fazer diferente, tornar o país mais justo economicamente, mais coeso socialmente e mais respirável moralmente. Esta é uma tarefa a todos os homens e mulheres de boa vontade. Todos serão poucos.

Pata Negra disse...

Pois, infelizmente, não controlando a comunicação social, não tendo vocação para o marketing político e não tendo a acção política impacto na vida das pessoas, é difícil ao eleitorado avaliar o governo - faltou isso tudo ao P Sócrates. Que pena, eu nem me tinha apercebido que eles estavam no poder! Espero que os abstencionistas lhes reconheçam o mérito! Só Sócrates nos pode salvar.
Um abraço redimido