sábado, junho 13, 2009

CRISTIANO RONALDO E O CHAMPANHE


A história prova à saciedade que os donos do mundo, os seus deuses extraordinariamente imortais e pagos na medida da sua imortalidade, negoceiam entre si em factos artificiais e em magníficas aparências ou semi-realidades. Paris e Cristiano geriram-se de esta vez com um sentido profissional de quem aprendeu a tirar partido em mais dinheiro da própria universalidade mediática. Jogar com quem publica é um jogo como outro qualquer. As revistas e os jornais, sempre sequiosos de escandalos que vendam bem, de eventos picarescos e de histórias picantes, agradecem e pagam a quem lhes dá tanto a ganhar em tão pouco tempo. Vende saber-se dos vinte mil dólares de champanhe na noite de Los Angeles. Vende saber conjugados e cúmplices para a fotografia Cristiano Ronaldo e Paris Hilton na casa da mana Nicky Hilton. Vende saber-se aquele convívio até às 5 da manhã. Certamente que alguém lucra com quanto se sugira e infira. Por que não lucrariam também com tudo isto Paris e Cristiano?! Enfim, nunca como agora foi oportuno citar um grande Poeta Obscuro, enquanto vivo, nas suas considerações sobre uma doença chamada celebridade: «Todo o homem que merece ser célebre sabe que não vale a pena sê-lo. Deixar-se ser célebre é uma fraqueza, uma concessão ao baixo-instinto, feminino ou selvagem, de querer dar nas vistas e nos ouvidos.» Depois há a transferência de CR para o Real Madrid por 94 milhões de euros sobre a qual se escreve e por causa da qual de igual modo se vende massivamente. Talvez alguém nos faça compreender em que medida este facto mediático, por si só, se converte num evento naturalmente lucrativo mesmo para a sofisticada engenharia financeira de quem tanto esteve e está disposto e expender por um só homem. Muitos entram com a sua parte neste bolo que gasta 94 milhões na convicção natural de ver muito bem compensado o seu dinheiro porque Cristiano é uma máquina de faturar mesmo ou especialmente fora dos relvados e dos estádios, é um ícone para dezenas de marcas. Todos os que se escandalizam, escandalizam-se para a parede. O mundo com todas estas suas lógicas escandalosas soma e segue. Todos os que se torcem de inveja, de indignação contra este abismo estão a falar para a Central. É triste. É um sinal contraditório dos tempos. É efectivamente um Escândalo Cósmico que troça da miséria e da fome de milhões de seres humanos com aquele sorriso escarnino que paga milhares de euros por champanhe numa só noite, mas este movimento conversor da aquisição de desportistas (jogadores de futebol, Basebal, American Futebol, Basquetebol, Golf) em recordes sucessivos e sucessivas altas paradas certamente não ficará por aqui assim como também nunca nos habituaremos a ele: «Toda a gente aponta o dedo a Florentino Pérez, neste come back ao Real Madrid do empresário espanhol. Depois de uma primeira investida no início do século, quando irrompeu com a era dos "galácticos" no futebol espanhol e mundial (entre 2000 e 2006), os 94 milhões de euros oferecidos agora ao Manchester United para ter Cristiano Ronaldo provocaram um terramoto no mercado de transferências. Em três dias, o presidente madridista deu 160 milhões por Ronaldo e Kaká (65 milhões ao Milan).»

5 comentários:

antonio ganhão disse...

Por momentos pensei que ias meter o Irão neste post...

joshua disse...

Já não te importarias que te metesse a ti no post e entre as cuequinhas da Paris, pois não?! Vá lá que isso me não passou pela mente... de esta vez, eheheh.

manuel gouveia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
antonio ganhão disse...

Bem depende se tinhas em mente fazeres de mim uma sandwich... a Paris até que não é de se deitar fora. Faz bem o Ronaldo e fica-te bem a ti tratares com carinho os teus leitores e amigos. E mant~e-los fora do contágio por HIV.

Anónimo disse...

O papa Bento 16 disse nesta quarta-feira no Vaticano que o futebol tem um papel crucial para ensinar lições de vida aos jovens. (http://www.estadao.com.br/noticias/geral,papa-diz-que-futebol-pode-ensinar-licoes-de-vida-a-jovens,106753,0.htm)

Não não pensem que era a este futebol interesseiro e avarento que o Papa se referia mas sim ao futebol desinteressado e saudavel que o meu Salgueiros jogava. É uma vergonha que os clubes ricos fiquem com tudo. O dinheiro das transferências havia de ser distribuido pelos clubes mais fracos e também por obras de solidariedade social e de intervenção tanto na area da saude como da sociedade.

Além do mais os jogadores têm vidas indignas. Vejam esse Ronaldo que ontem andava com uma e hoje já anda com outra. Que exemplo dá ele aos nossos jovens? E que exemplos dão as televisões que transmitem a podridão em que ele anda? Parem com a vergonha já.