quarta-feira, junho 17, 2009

POR PCP E UM BE NEM VENAIS NEM TRAVESTIDOS

Nem quero pensar que o PCP e o BE se perfilam para coligações com o PS de Extrema-Direita neoliberal selvática de José Sócrates que sobrar das próximas eleições legislativas. Uma Esquerda Oportunista e Amoral não é a Esquerda Ética e Coerente que se exige para corrigir o Saque em decurso, graças a este PS 'Humildemente' Abominável, coisa disforme engendrada para esmagar a população de Fisco, devastando as contas públicas, mas depois vender-lhe sorrisos falsários optimistas, produto propagandesco podre que a RTP e certa imprensa veiculam em doses cavalares. Se assim for, se estes dois Partidos se prostituirem a tal PS, então que o clarifiquem a tempo porque pelo menos aqui apontaremos agulhas intencionais noutras direcções. É bom que não se perceba que ambos os partidos atenuam agora a sua oposição a tal Governo devastador. A moção de censura do PP tem o mérito de refrescar a fraca memória do eleitorado abstencionista acerca do excesso desastroso de comunicação sobeja governamentalesca. O Governo sempre comunicou e nada mais fez senão comunicar que o seu discurso vai sempre no sentido oposto das suas práticas, e que as suas práticas se pautam pela Burla e no Golpe Moral Invertido ou Imoral: aposta em grandes investimentos mas não nas pequenas e médias empresas; altera as regras do subsídio de desemprego para esmagar e vexar com eficiência massas de desempregados; mantém-se insensível sem aumentar as pensões mais baixas e condena vergonhosamente os mais pobres dos reformados à escolha entre os medicamentos e os alimentos; faz da hostilização dos professores o seu rasto abominável bem comunicado e claro, algo que não necessita de explicações adicionais; não executa como lhe compete as verbas do QREN (fundos comunitários) nem as do Proder (programa de desenvolvimento rural) por incompetência, por desonestidade, por incapacidade, por malícia. Não admira que o PP digar: “Queremos trazer a censura que os portugueses exprimiram nas urnas e mostrar que o Governo não tem um problema de comunicação”, como bem sublinhou o deputado Mota Soares, vice-presidente da bancada do CDS. O problema do PS é a sua transparente e comunicativa incompetência e é aquele sorna esperar que as lantejoulas da propaganda disfarcem tanta inépcia em movimento.

3 comentários:

Gonçalo disse...

Caro Joshua,

tanto rancor faz mal à digestão, homem. Olhe que as úlceras são o diabo...

Por entre a sintaxe bizantina e a escolha de vocabulário digna das melhores sugestões do Word, só ainda não consegui perceber sobre que raio de país estará V.Exa a falar. Será o mesmo em que eu vivo?

Estaremos a utilizar PP, "bem" e "refrescar" nas mesmas frases sem qualquer pontinha de sarcasmo e ironia? O mesmo PP de há 4 anos? O da Moderna, o da Portucale, o dos submarinos? O da coligação c'o Barroso? O da AD que deu a maior vitória (!) de sempre ao PS?

Presumo, então, que podemos esperar um glorioso amanhã, liderado pela MFL e pela sua Partenaire?

"Agora é que é", certo? "Todos os anteriores era pra ver se estavam atentos".


Cumprimentos

joshua disse...

Gonçalo, tenho o consolo de finalmente pressentir o fim de quatro anos miseravelmente Burlões e Bolorentos. Repare que o chavismo socratinesco de que falo não é o ideológico. É mesmo o de estilo e o de tendência fascizante no meio do mais desbragado populismo propagandesco e só aí, pois a fórmula é ultraneoliberalismo nas práticas e populismo na forma mediada pelas propagandas massivas do PS.

O Regime não tem cura, mas sempre podemos lutar circunstancialmente pelos menos podres e menos contaminados de interesses em dado momento, como me parece ser o caso do BE e do PCP. Teriam de ter sido poder para lhes descortinarmos os abusos que protagonizam o PS e o PSD da grande gamela do Estado.

PS/PSD e PP têm-nos habituado a governações para os interesses e em função deles. O PS de Sócrates foi longe de mais, com a agravante de ser metodologicamente desastrado e, nesta legislatura, profundamente desumano com quem seria proibitivo ser.

Isto do meu rancor ou não rancor certamente não é como a 'Humildade' nova do sr. Sócrates. Tem uma forte e fundamentada razão de ser pois não sei mais o que fazer com o quanto de todas as formas imagináveis as políticas de estes quatro anos me esbulharam, maltrataram e prejudicaram em todos os planos: e não sou o sr. Vara, o tio Monteiro do sr. Sócrates nem a Mamã do sr. Sócrates do offshores malcheirentos, nem o primo na China do sr. Sócrates, nem a Martifer do sr. Sócrates nem a J.P. Sá Couto do sr. Sócrates, nem a Energie nem a Pelamis nem o Allgarve do sr. Sócrates.

Todos aqueles que foram levados ao tapete pelas políticas do sr. Sócrates não lhe podem perdoar o sorriso burlão e o passado grotesco.

Em que país preservado de misérias e danos profissionais e morais pelas políticas do sr. Sócrates é que vive o Gonçalo?!

Daniel Santos disse...

Estou a ver o próximo governo:

PS/BLOCO

vai ser lindo.