terça-feira, junho 16, 2009

CALVÁRIO DA LUZ ESPERA JESUS

É certo que, no plano nas grandes opções estratégicas da política interna, o assunto TGV faleceu por agora. A legislatura escorre para o seu fim, adiando o arranque de essa matéria crucial para o próximo governo eleito, a fim de só então ser revista e reponderada, pois não são trocos. Ora, da mesma forma, simbolicamente, Jorge Jesus representa para o Benfica de Vieira uma espécie de TGV em que se ousou avançar contra tudo e contra todos. Porquê? Porque já está designado e escolhido, contratado e assinado, por uma direcção afinal de contas demissionária, que afinal de contas pôs e dispôs, quando o processo eleitoral, depois do qual ficaria bem tudo definir, dista três semanas (para Vieira três semanas de favas contadas). Ora, não há verdade, desportiva ou política, com toda a espécie de condicionamentos anti-democráticos engendrados por LFV. No mínimo, isto é algo espertalhaço, mas pouco ético e que na verdade não coloca o Benfica em primeiro. Uma vez mais, como é tradição, a esgrima de Egos e o Benfica-Adorno fala mais alto. Não abram os olhos, não: «A administração da SAD do Sporting de Braga e o treinador de futebol Jorge Jesus estão neste momento reunidos no Estádio Municipal de Braga para negociar a rescisão contratual do técnico.»

1 comentário:

Daniel Santos disse...

Exagerado!

Este ano é que é.