sábado, dezembro 24, 2011

2011, ANO DA ANUNCIADA DESGRAÇA SOCRATISTA

Que o socratismo haveria de foder largamente com Portugal era uma questão de tempo, tornada óbvia aos atentos leitores e comentadores do quotidiano político desses anos de merda, sorrisos e jantaradas optimísticas. Estamos sob os ditames da Troyka e ela representa simultaneamente a nossa capitulação e o nosso resgate sob determinadas condições, a maior parte delas reformistas, duras agora para que o não sejam mais adiante. O empréstimo a juros dignos é uma quimera socratista, para quem tudo ia bem até ficar absolutamente mal. A anorexia intelectual dos espertalhaços para os socratistas é preferível à anorexia intelectual dos cuidadosos e contidos, como Gaspar. Para eles, igualmente, só existe a corrupção do PSD, dos Duarte Lima e quejandos e só essa é que destruiu todo e qualquer estímulo à competitividade da nossa economia e que nos conduziu à ruína. Portanto, e isto é que é sacana, para eles só o PSD tem menção nesse particular. Nada a dizer do enriquecimento ultra-ilícito de Sócrates. Os maus agora são a troyka com pressa em arrecadar o mais depressa o seu dinheirinho. 

Sem comentários: