quarta-feira, dezembro 28, 2011

JPP — UM TARDO-REALISTA RESUMIDO

«Pacheco é inteligente. E por isso ainda mais estranho se torna tudo isto. O "problema" (se acaso o houvesse) não é Pacheco estar mergulhado num atoleiro de pessimismo e de depressão; o problema é só estar AGORA. Dá perfeitamente a ideia que Pacheco andou todos estes anos a fingir que não via. O Povo Português, esse povo que é trabalhador e DESEMPREGADO da iniciativa privada, já anda há muitos anos a comer o pão que o Diabo amassou, ou mesmo só a comer merda (isto, quando há). Ora Pacheco levou anos a voltar a cabeça para o lado: para ele essas gentes, esses homens e essas mulheres que não exerciam o direita à greve e que não reivindicavam - fora como estavam das classes bem definidas nos manuais do Séc XIX  não mereceram um átomo da sua intelectual atenção. Sócrates veio, ficou, desorganizou, saqueou, encenou, endividou, controlou e roubo  e nem assim Pacheco se ralou mais do que alguém que apenas vê o lado puramente político das coisas (aí sim, ele esbracejou nas comissões). Mas enquanto isso, à volta dele, o mundo mudava e de que maneira: desemprego, falsas formações, números martelados, miséria sem voz. Parece que José Pacheco Pereira acordou apenas a semana passada. E depois atreve-se a dizer que há gente que lhe chama "neo-realista", galhofando intelectualmente superior. De facto, ele não é "neo-realista" mas sim "tardo-realista".» Besta Imunda

Sem comentários: