sexta-feira, dezembro 30, 2011

2011, DA ORGIA DEFICITÁRIA À ORGIA EXTORSIONÁRIA

Vencedores do ano.
Portugal decidiu mudar. Os subsídios tomados só aos funcionários públicos e pensionistas farão certamente os milagres orçamentais que a revisão ou renegociação das PPP, com o fim de outras tantas hemorragias gizadas pelo socratismo agónico, jamais conseguirão, mas o que é certo é que uma Constituição que nos não defendeu de primeiro-ministros sucessivos sucessivamente incompetentes, demagógicos e eleitoralescos, teria necessariamente de redundar nesta permissividade [entre vários males escolhe-se o menor] de Cavaco à extorsão prevista, e porventura necessária, para 2012. Se queriam mudar o futuro, teria sido necessário acordar perante todos os sinais de alarme no passado. Não temos tempo para a fiscalização preventiva do que quer que seja inconstitucional neste Orçamento, pois ele é uma Lei de Emergência à prova da compassividade hipócrita d'O Jumento e da falsa misericórdia social do Câmara Corporativa e de toda a Esquerda onanista e piadista. O PS implodiu o País, implodiu ele mesmo, e conduziu a democracia representativa à palhaçada amadora de nos colocar à mercê "dos mercados". Agora teremos de ser corrigidos e financiados por "especialistas", novos china players, novas práticas que reajustem o que chefes de governo absolutamente incapazes, narcísicos, daninhos e facciosos, pariram para os seus próprios povos. Basta isto: enquanto se continuar a tresler o programa Novas Oportunidades como "qualificação" e "investimento [...] para que Portugal volte a crescer economicamente", a cepa nacional, já anquilosada e retorcida, continuará alarvemente torta. 

Sem comentários: